sábado, 18 de março de 2017

Chuvas de março já atingem 71% da média histórica no CE



EM 17 DIAS


Com as precipitações das últimas semanas, subiu para quatro a quantidade de açudes sangrando no Ceará

 Vanessa Madeira - 
Repórter
No município de Assaré, na região do Cariri, choveu 88 milímetros, conforme a Funceme, nas últimas 24 horas; entretanto, há relatos de agricultores de registros acima de 150 milímetros na zona rural ( Foto: VC Repórter )Clique para ampliar

Após as chuvas registradas no Ceará em fevereiro ultrapassarem a média histórica do período, as precipitações ocorridas até o momento em março começam a se aproximar do volume considerado normal para a época. Em 17 dias, conforme dados da Fundação Cearense de Meteorologia (Funceme), foi observada média de 144,7 mm de chuva no Estado, volume que equivale a 71% da média histórica mensal, de 203,4 mm. O número também já é maior que o contabilizado em todo o mês de março do ano passado (129,4 mm).

Com as precipitações das últimas semanas, subiu para quatro a quantidade de açudes sangrando no Ceará. Além do Caldeirões, do Maranguapinho e do Tijuquinha, o açude Acaraú Mirim, no município de Massapê, atingiu ontem 100% de sua capacidade. Segundo a Companhia de Gestão de Recursos Hídricas (Cogerh), a última vez que a barragem havia chegado ao nível máximo foi em agosto de 2011. O reservatório possui volume total de 40,26 hm³.

Conforme o meteorologista da Funceme David Ferran, março e abril são os meses em que, historicamente, chove mais no Estado. Daí as grandes expectativas em torno das precipitações registradas nesse período.

No entanto, segundo ele, embora o Ceará venha contabilizando bons volumes no geral, a maior parte das chuvas tem se concentrado em regiões distantes dos principais reservatórios do Estado, como os açudes Orós, Banabuiú e Castanhão. "Essas chuvas são causadas pela proximidade da Zona de Convergência Intertropical, que é típica dessa época do ano. As maiores precipitações estão no litoral de Fortaleza e as menores no Sertão Central, nos Inhamuns, Cariri e em Jaguaribana", explica.

Na macrorregião do litoral de Fortaleza, a média foi de 240,1 mm em março. Com isso, a área fica apenas 5% abaixo da média histórica (252,6 mm). Já no Cariri, por exemplo, foi observada média de 130,4 mm, enquanto a média histórica é de 218,4 mm, 40% a mais.

Diante da distribuição irregular de chuvas, a situação dos reservatórios permanece preocupante. Conforme a Cogerh, os reservatórios estão com 8,52% de sua capacidade. Dos 153 açudes monitorados pelo órgãos, 123 se encontram com volume inferior a 30% do total. Fora os quatro açudes que estão sangrando, nenhum possui mais de 90% da capacidade.

Do início do ano até março, houve aporte de água em 123 açudes. No total, a recarga no Estado foi de 506 milhões de m³ de água. Ainda de acordo com a Cogerh, março foi o mês do ano com o maior aporte, somando 0,36 bilhões de m³ a mais nos reservatórios. Em fevereiro, esse volume foi de 0,12 bilhões de m³ e em janeiro, 0,03 bilhões de m³.

De quinta (16) para sexta-feira (17), quando choveu em 123 municípios cearenses, foi registrado aporte de 84,2 milhões de m³ em 80 açudes.

Açude rompeu

Em Assaré, na Região do Cariri, as fortes chuvas causaram o rompimento do açude dos Montes, no bairro Populares. Ruas de pelo menos três bairros ficaram embaixo d'água. Carros foram arrastados pela correnteza e dezenas de famílias estão desalojadas. Esta foi a segunda vez que o reservatório rompeu. A última ocorreu em 1989.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ministério da Fazenda autoriza aumento das tarifas de serviços dos Correios Matéria   14:12:00     Brasil O Ministério da Fazend...