terça-feira, 31 de julho de 2018

Pré-selecionados do Fies têm até sexta-feira para completar inscrição




Os estudantes pré-selecionados para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), do primeiro semestre de 2018, têm de hoje (30) até sexta-feira (3) para fazer a complementação da inscrição.


O processo de complementação deve ser feito por meio do acesso à página do Fies na internet.


A página do Fies orienta passo a passo o que fazer. Por exemplo, a porcentagem a ser financiada e os dados da agência bancária para receber o benefício.


Dúvidas e informações estão contidas no item “Complementação da inscrição no FiesSeleção” .


Detalhes


O Fies é um programa do Ministério da Educação destinado a financiar a graduação na educação superior de estudantes matriculados em cursos superiores não gratuitas na forma da Lei 10.260/2001.


Podem recorrer ao financiamento os estudantes matriculados em cursos superiores que tenham avaliação positiva nos processos conduzidos pelo Ministério da Educação.


Desde o segundo semestre de 2015, os financiamentos concedidos com recursos do Fies passaram a ter taxa de juros de 6,5% ao ano.


Segundo o MEC, o valor contribui para a sustentabilidade do programa, possibilitando sua continuidade enquanto política pública perene de inclusão social e de democratização do ensino superior.

Além dos atentados na Capital, fim de semana no Ceará registrou 39 assassinatos


Além da onda de atentados a coletivos e prédios públicos e privados na Grande Fortaleza – iniciada na madrugada de sexta-feira – o último fim de semana de julho de 2018 registrou também violência armada que deixou várias pessoas mortas em 72 horas. Entre a sexta-feira (27) e o domingo (29), ocorreram 39 assassinatos no Ceará, sendo 16 na Capital, 15 no Interior e mais oito na Região Metropolitana (RMF).


Em Fortaleza, 16 pessoas foram mortas nos seguintes bairros: Bom Jardim (3 casos), José Walter (3 casos), Centro, Granja Lisboa, Conjunto Palmeiras, Messejana, Genibaú, Bonsucesso, Jacarecanga, Edson Queiroz, Passaré e Vila Peri. Neste último, a vítima do assassinato, a tiros, foi um policial militar da Reserva Remunerada (RR).


Na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), a Polícia fez o registro de oito homicídios nos seguintes Municípios: Caucaia (3 casos), Maracanaú (2 casos), Maranguape, Pacatuba e Aquiraz.


No Interior Sul, foram nove pessoas mortas nos seguintes Municípios: Russas (3 homicídios), Iguatu (2 crimes), Senador Pompeu, Quixeramobim, Quixadá e Nova Olinda.


No Interior Norte, foram registrados seis assassinatos em Sobral (três casos), Redenção, Itarema e Itapajé.


Ceará News

Mais de 51 mil cearenses ainda podem sacar abono do PIS/Pasep de 2016




Os trabalhadores que não sacaram o abono salarial ano-base 2016 têm prazo até 30 de dezembro para retirar o dinheiro. No Ceará são mais de 51,2 mil trabalhadores nesta situação: dos 978 mil trabalhadores que têm direito ao benefício, 927 mil já sacaram o abono salarial ano-base 2016.


O valor do abono salarial 2016 disponível para os trabalhadores cearenses chega a R$ 39 milhões. Na região Nordeste, o benefício poderá ser retirado por mais de 342,7 mil trabalhadores, totalizando R$ 262 milhões.


O valor que cada trabalhador tem para sacar depende de quanto tempo ele trabalhou formalmente em 2016. Quem trabalhou o ano todo recebe o valor cheio, que equivale a um salário mínimo (RS 954). Quem trabalhou por apenas 30 dias recebe o valor mínimo, que é R$ 80.


Direito
Tem direito ao abono salarial ano-base 2016 quem estava inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos; trabalhou formalmente por pelo menos 30 dias em 2016 com remuneração mensal média de até dois salários mínimos; e teve seus dados informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS).


Os trabalhadores da iniciativa privada devem procurar a Caixa. A consulta pode ser feita pessoalmente, pela internet ou no telefone 0800-726 02 07. Para os servidores públicos, a referência é o Banco do Brasil, que também fornece informações pessoalmente, pela internet e pelo telefone 0800-729 00 01.

61 cidades têm risco alto para retorno do vírus do sarampo



Outras 67 apresentam médio risco e 56 possuem baixas chances de voltarem a ser afetadas pela doença


01:00 · 31.07.2018 / atualizado às 01:16 por Vanessa Madeira - Repórter
A campanha de imunização de 2018 contra a doença terá início no próximo dia 6. A coordenadora da Sesa destaca que a vacinação é a medida mais eficaz para evitar a reintrodução do vírus e o surgimento de novos casos ( FOTO: JOSÉ LEOMAR )

Com casos confirmados em seis estados brasileiros neste ano, o sarampo continua representando ameaça ao Ceará. Mesmo sem ocorrências da enfermidade desde 2015, quando chegou ao fim o surto de dois anos registrado no Estado, mais de 30% dos municípios cearenses apresentam risco alto ou muito alto para a reintrodução do vírus da doença, conforme revela análise da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa).

Segundo o órgão, sete cidades possuem risco considerado muito alto e 54 têm risco alto de registrarem novos casos da doença caso o vírus volte a circular no Ceará. Outras 67 apresentam médio risco e 56 possuem baixas chances de voltarem a ser afetadas pelo sarampo.

A análise leva em conta indicadores relacionados à qualidade do programa de imunização e da vigilância epidemiológica, como a taxa de abandono entre as duas doses da vacina contra a infecção, e características intrínsecas dos municípios, como densidade populacional e presença de zonas vulneráveis. A estrutura organizacional para resposta na rede de saúde pública também é avaliada a partir de dados sobre a cobertura da Estratégia de Saúde da Família (ESF) e também dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS).

Conforme explica a coordenadora de Vigilância e Saúde da Sesa, Daniele Queiroz, o Ceará foi o único estado do País cuja cobertura vacinal contra o sarampo atingiu, no ano passado, a meta de 95% estipulada pelo Ministério da Saúde. O grande alcance da imunização garante maior proteção da população contra um novo surto. No entanto, aspectos próprios de determinados municípios, a exemplo do nível de urbanização e de adensamento populacional, são favoráveis à proliferação do vírus.

"Esses estudos começaram a ser realizados depois da epidemia e servem para nortear as ações do período seguinte. Como nós não temos sarampo, não podemos avaliar o resultado da vigilância pelos casos. Por isso, utilizamos esses indicadores", afirma Daniele. "Municípios com alta taxa de urbanização têm maior risco, assim como os de maior densidade demográfica, porque a aglomeração de pessoas aumenta o risco de disseminação caso o vírus chegue", completa a coordenadora.

A Sesa fez visitas técnicas a 48 municípios com classificação de risco entre alto e muito alto para planejar estratégias de vacinação de públicos mais vulneráveis. A campanha de imunização de 2018 contra a doença terá início no próximo dia 6. Daniele Queiroz destaca que a vacinação é a medida mais eficaz para evitar a reintrodução do vírus e o surgimento de novos casos. A cobertura de 95% do público-alvo, segundo a coordenadora da Sesa, assegura que o vírus não volte a circular no Estado.

Para atingir a meta, contudo, é preciso combater a taxa de abandono vacinal. Por se tratar de uma imunização com duas doses, é comum que parte da população inicie o esquema vacinal, mas não o finalize. "A estratégia que será lançada em agosto é justamente para corrigir qualquer falha que exista na cobertura vacinal. É a oportunidade de colocar em dia a caderneta de vacinação de crianças de 1 ano até menores de 5 anos e de adultos", afirma Daniele.

A coordenadora ressalta que a vacinação contra o sarampo também abrange a população de 12 a 49 anos de idade. Pessoas na faixa etária de 12 a 29 anos precisam receber duas doses da vacina para serem consideradas protegidas contra o sarampo. Já aquelas com idade entre 30 e 49 anos precisam apenas de uma dose.

Fique por dentro

Fim do surto completa três anos

Este mês de julho marca três anos do fim do último surto de sarampo registrado no Ceará. A epidemia ocorreu entre 2013 e 2015, quando foram contabilizados 916 casos da doença. Na época, o Estado se encontrava há 15 anos sem ocorrências. A cadeia de transmissão do vírus só foi interrompida em julho de 2015, após intensificação da vacinação nos municípios cearenses, com a realização de buscativas de pessoas não imunizadas. No ano seguinte, a Organização Pan-americana de Saúde (Opas) deu por encerrado o surto.

Resumo do final de semana: confira os partidos que lançaram candidatura no Ceará até o momento





PSDB, PSOL e PFL homologaram suas candidaturas nesse final de semana. Foto: arte do Blog


Até então, 3 partidos oficializaram candidaturas, através de convenção, para disputar o Governo do Estado, Senado, Congresso Nacional e Assembleia Legislativa. Ao todo são 5 partidos que entram na disputa. Os nomes de Guilherme Theophilo (PSDB), Ailton Lopes (PSOL) e Hélio Gois (PSL) foram até o momento os únicos que lançaram disputa nesse final de semana. Falta serem realizadas as convenções de Camilo Santana (PT) e Francisco Gonzaga (PSTU). As coligações tem somente uma semana (até o dia 5, domingo) para oficializar suas candidaturas, de acordo com o calendário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

No sábado, a convenção do PSOL lançou o bancário Ailton Lopes e a militante do PCB, Raquel Lima, como candidatos à governador e vice respectivamente. Essa é a segundo vez que Ailton disputa uma eleição, tendo sido derrotado em 2014 que obteve 2,40% dos votos válidos. A chapa PSOL/PCB também lançou dois nomes para o senado: a professora Ana Karina Cavalcante e o pastor evangélico Jamieson Simões. Durante o encontro a palavra de ordem “Marielle, presente!”, em homenagem a vereadora carioca morta em março, foi uma das mais ouvidas.
No domingo, a convenção do PSDB homologou a candidatura de general Theophilo ao Governo do Estado, mas por enquanto a chapa PSDB/Pros não tem vice. Nomes como o do caririense Vasques Landim foram cotados para compor ao lado do candidato a governador, mas o próprio Landim não aceitou por razões pessoais. Durante o encontro, ocorrido no auditório do Colégio Ari de Sá, na capital, o senador e maior líder do partido, Tasso Jereisatti, esteve presente e Geraldo Alckimim mandou mensagem aos participantes por meio de vídeo. Eduardo Girão e Mayra Pinheiro ficaram com a disputa ao Senado.
Também no domingo, o PSL realizou convenção que oficializou o advogado Hélio Gois, candidato ao Governo do Estado, e Elizabeth Tauchmann como vice. Para o senado, a chapa PSL/Democracia Cristã lança o médico Márcio Pinheiro e o pastor Pedro Ribeiro.
Encontro de “Tática”
O PT não realizou convenção, mas fez o “Encontro de Tática Eleitoral” no sábado em que homologou algumas candidaturas a deputado federal e estadual e definiu os rumos do partido para as eleições 2018. Uma das decisões é que o Partido abre mão de lançar nome do próprio PT ao Senado para apoiar Cid Gomes (PDT). Um dos nomes cotados seria do atual senador José Pimentel. Pimentel enviou nota “lamentando” a decisão do colegiado. A convenção oficial do Partido dos Trabalhadores será no ultimo dia, do calendário do TSE, 5 de agosto (domingo), que homologará Camilo Santana candidato à reeleição. Colaborou Rafael Pereira

ELEIÇÕES 2018 TRE estabelece horário de funcionamento no período eleitoral





A Portaria Conjunta 10/2018, do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará, publicada no Diário da Justiça do Estado (DJE) desta segunda-feira, 30/07, dispõe sobre o horário de atendimento ao público e o regime de plantão nas Eleições 2018, no âmbito da Justiça Eleitoral do Ceará.

O horário de atendimento ao público, em regime de plantão, no período compreendido entre os dias 15 de agosto e 7 de outubro de 2018, será, na Secretaria do Tribunal, em dias úteis, inclusive às sextas-feiras, das 8 às 19 horas e, nos finais de semana e feriados, das 14 às 19 horas. Nos Cartórios e nas Diretorias dos Fóruns Eleitorais o funcionamento será, em dias úteis, das 8 às 15 horas, e, nos finais de semana e feriados, das 8 às 13 horas. Na hipótese de votação em segundo turno, o período será prorrogado até 28 de outubro de 2018.

Nos municípios com mais de um Cartório Eleitoral, o regime de plantão estabelecido neste artigo será aplicado somente àquele com competência para exercício do poder de polícia sobre a propaganda eleitoral definida pela Resolução nº 689, de 23 de abril de 2018, deste Tribunal.

O regime de plantão não será adotado para o atendimento ao público nas Centrais e nos Postos de Atendimento. O horário de atendimento ao público, em regime de plantão, após o dia da eleição, em primeiro ou, se houver, em segundo turno, até o dia 19 de dezembro de 2018, será somente na Secretaria do Tribunal, em dias úteis, inclusive às sextas-feiras, das 12 às 19 horas e, nos finais de semana e feriados, das 14 às 19 horas.

Para cumprimento do plantão na Secretaria do Tribunal, caberá ao Diretor-Geral determinar quais unidades e o quantitativo de servidores que serão designados. O gestor da unidade administrativa deverá estabelecer escala de revezamento entre os servidores designados para o plantão, observando o direito ao repouso semanal, sempre que possível.

O juiz eleitoral deverá estabelecer escala de revezamento entre os servidores designados para o plantão, observando o direito ao repouso semanal, sempre que possível.

De 15 de agosto a 7 de outubro ou, se houver votação em segundo turno, 28 de outubro de 2018, todas as unidades judiciárias e administrativas da Justiça Eleitoral do Ceará estarão submetidas ao regime de serviço extraordinário previsto na Portaria TRE-CE nº 614/2016, cabendo aos servidores e aos gestores a fiel observância aos requisitos e procedimentos para prestação de sobrejornada, inclusive quanto ao cumprimento da jornada de trabalho de oito horas diárias com requerido intervalo intrajornada de uma hora, ou de sete horas diárias ininterruptas.

COM TRE/CE

segunda-feira, 30 de julho de 2018

SUS gasta R$ 500 milhões com complicações por aborto em uma década



Em uma década, o SUS gastou R$ 486 milhões com internações para tratar as complicações do aborto, sendo 75% deles provocados. De 2008 a 2017, 2,1 milhões de mulheres foram internadas.


No intervalo, embora o número de internações tenha caído 7%, as despesas hospitalares subiram 12% em razão da gravidade dos casos. Em quase um terço deles, houve sérias complicações após o aborto, como hemorragias e infecções. Ao menos 4.455 mulheres morreram de 2000 a 2016.


O levantamento inédito obtido pela Folha consta de relatório do Ministério da Saúde que deve subsidiar o STF (Supremo Tribunal Federal) em ação que pede a descriminalização do aborto até 12ª semana de gestação.


Folha de S.Paulo

CONEXÃO NA HISTÓRIA DE CAMPOS SALES: Banda de Música de 1927


De volta aos bons tempos!
Banda de Música de Campos Sales em 1927.
Curiosidades:
Informação oficiosa: A primeira apresentação da banda de música de Campos Sales foi no dia 02 de outubro de 1927.
A 1ª integração da banda de música contava com os seguintes músicos:
Alcebiades Custódio Arrais (Bombardino)
Antonio José de Sousa (Pratos)
Braz Epifânio Cortez (Piston)
Cicero Mathias (Clarinete)
Deusdeth Alves de Moraes (Piston)
Dorotheu Arrais (Trombone)
Francisco Assis (Requinta)
Jesus Virgulino (Trombone)
José Andrade (Tarol)
José de Donana (Trompa)
José Ferreira de Andrade - José Sinval (Clarinete)
Luiz de Souza Arrais - Luiz Baleco (Piston)
Milton Loiola (Clarinete)
Pedro Ferro Feitosa (Clarinete)
Thirço de Albuquerque Arrais (Contra baixo)
Maestro - Rufino.
Na gestão do prefeito Dr. Francisco de Paula Fortaleza (1977 a 1983) a banda de música de Campos Sales recebeu o nome de um dos seus mais brilhantes músicos: Lauro Honorato da Silva.

COLABORAÇÃO: Herlon Baleco De Sousa 

Museu do Gonzação e atrativo na cultura e no turismo


Exu é um município pernambucano que fica a cerca de 77 quilômetros de Juazeiro do Norte, aos pés da Chapada do Araripe. Conhecido por ser a terra do “rei do baião”, a cidade atrai muitos turistas que desejam conhecer as origens e as influências de Luiz Gonzaga para a cultura nordestina.

Atualmente funciona em Exu o Museu do Gonzagão, dentro do Parque Asa Branca, dedicado a vida e carreira do artista e também a acolher um pouco mais sobre a cultura do forró difundido por ele durante sua carreira.

No parque estão também a casa que pertenceu a seu pai, Januário; o mausoléu da família; uma pousada com 80 leitos para turistas; quadra e palco para exibição de grupos artísticos, além de uma lojinha com artigos diversos do cantor e um espaço dedicado para aulas de sanfona, dança e teatro.






O Parque Asa Branca é dedicado a história do 'Rei do Baião'. Foto: George Wilson


O museu conta com vasto acervo particular de Luiz Gonzaga, o maior do país. Foto: George Wilson


AcervoO museu tem a maior coleção de peças originais de Luiz Gonzaga no país. Na coleção é possível encontrar sanfonas, chapéus, sandálias e gibão de couro, discos de ouro e fotografias, máquinas de gravar LP, medalhas, diplomas, obras de arte e parte do acervo pessoal de Gonzaga.

A Todeschini, utilizada na homenagem a João Paulo II e até a sanfona de oito baixos que Luiz Gonzaga, em 1952, tocou junto com o pai na Rádio Nacional estão expostas no museu.
Atualmente o museu é mantido por serviços e também pelo governo, que desenvolve projetos sociais utilizando a área do parque.

O acervo do cantor também é tema de um inquérito no Ministério Público, no qual irá realizar-se no próximo dia 2 de agosto uma audiência pública para discutir a preservação e promoção cultural deixada por Luiz Gonzaga.

O inquérito, que incluir a influência do acervo do cantor na cena cultural e na propagação desta no país e no mundo, é de responsabilidade do Procurador da República Marcos de Jesus, objetivando acompanhar a situação patrimonial em que se encontram as peças do músico.

A audiência irá ocorrer no Auditório do Colégio Municipal Bárbara de Alencar, na rua Antoliano Alencar, centro de Exu, a partir das 13h 30min, com inscrições presenciais ou via e-mail (prpe-prm-salgueiro@mpf.mp.br).

Escola de SanfonaUm dos projetos sociais mantidos pelo governo, que corre risco de não mais existir devido a falta de investimentos na promoção cultural no município, é a Escola de Sanfona Mestre Dominguinhos. O local reúne professores e aprendizes que desejam perpetuar o manejo no instrumento que deu fama a seu patriarca e difundiu o forró no país através do “Rei do Baião”.

As amigas Jaderlane e Alice treinam juntas a tocar sanfona, junto a um projeto social do Parque Asa Branca. Foto: George WilsonA pequena Jaderlane, que tem aulas de sanfona todos os sábados no Parque Asa Branca, relata que sempre quis aprender a tocar o instrumento. “No início tinha vergonha de pedir a meu pai para vir para cá ter aulas, mas minha amiga da escola começou a fazer aulas e quis vir também. Sempre tive curiosidade de saber como era e agora estou aprendendo a tocar”, disse.



Fonte Badalo

CÂMARA MUNICIPAL DE CAMPOS SALES REALIZA SESSÃO SOLENE PARA ENTREGA DE TÍTULOS





Daniel Laureano


A Câmara Municipal de Campos Sales, realizou nesta Quinta Feira (26 de Julho), (aproveitando o início dos festejos de Aniversário do Município) entrega de Títulos de Cidadão Campossalense.
Os homenageados que receberam os títulos foram:

– Joseane Ribeiro Rodrigues Veloso
– Drª Samara Costa Maia
– Maria da Penha Vieira Ribeiro
– Tiago de Carvalho Pereira
– Antonia Eridan Alves Fernandes
– Drª Kátia Mendes de Sousa Andrade
– Irismar Gonçalves de Oliveira
– José Dalamberg Cabral Ferreira
– Cícero Robério Nobre
– Maria Auxiliadora Cruz Domingues
– Rita de Cássia Ribeiro Lins
– José Carlos da Ponte Guimarães
– Osvaldo Moreira Leite
– Tereza neuman Ribeiro de Morais
– Dom Newton Holanda Gurgel – In memoriam
– Francisco Avelino da Silva – Chico da Ladeira


O evento contou com a presença de grande parte dos homenageados e dos Vereadores, além dos familiares de cada um. O Prefeito Municipal Moésio Loiola e o Prefeito de Salitre Rondilson Ribeiro fizeram parte da bancada dos Vereadores.

A Autora do Requerimento para a Solenidade foi a Vereadora Elionete Leite.

Câmara Municipal de Campos Sales Presidente: Antonio Luiz Santos Neto



Todas as fotos no link a seguir: https://www.facebook.com/KaririOeste/

Fonte:facebookdacamara

REDUÇÃO Velocidade máxima em Juazeiro é de 50 km/h



No bairro do Aeroporto, a sinalização é reduzida ainda mais, atingindo a marca de apenas 40km/h




Segundo o diretor do Demutran, Pedro Cipriano, já neste primeiro semestre de 2018 houve uma redução de 33% de acidentes em relação a igual período do ano passado ( FOTO: ANTONIO RODRIGUES )
por Antonio Rodrigues - Colaborador

Juazeiro do Norte. A Terra do Padre Cícero tem a segunda maior frota de veículos do Ceará, com 119.079 unidades, ficando atrás somente de Fortaleza. Isso representa que um a cada 2,2 habitantes possui um meio de transporte particular, num território 97% urbanizado, que cresceu desordenadamente. O número de pessoas na cidade chega a triplicar na época de romarias e muitos ônibus ocupam o Município. Por isso, nos últimos dois anos, o Departamento Municipal de Trânsito (Demutran) adotou uma série de medidas para melhorar a mobilidade urbana e garantir mais segurança. Uma delas, foi a generalização do limite máximo de 50 km/h na cidade - a primeira do Interior.

Depois de efetivada, houve uma redução de 28 acidentes graves, em 2016, para 17, em 2017. A instalação inicial de três fotossensores, começou em maio do ano passado. A medida foi ampliada e, atualmente, as principais avenidas possuem o equipamento que notifica os motoristas que ultrapassam essa velocidade. No bairro Aeroporto, a sinalização reduz ainda mais, chegando a 40km/h.

Segundo o diretor do Demutran, Pedro Cipriano, já neste primeiro semestre de 2018 houve uma redução de 33% de acidentes em relação a igual período do ano passado. Para ele, os números mostram que esta medida foi importante, principalmente, para a segurança do pedestre.

"O pedestre está em primeiro lugar. Estamos fazendo licitação para colocar semáforos de pedestre em quatro locais. Vamos ver onde tem mais fluxo de pessoas e veículos para dar segurança".

O Demutran possui 90 agentes e 34 pessoas trabalhando na parte administrativa. Deste número, dez trabalham nas ações educativas em escolas, empresas ou nas vias, entregando material didático. Dentro do órgão, também há um setor de engenharia com cinco profissionais responsáveis por planejar o trabalho de sinalização. Este grupo é responsável por realizar um estudo nas ruas e avenidas para viabilizar o trabalho, que normalmente, evidencia os locais com maior fluxo de veículos e acidentes.

A partir disso, foram colocados, no último mês, fotossensores e câmeras nos cruzamentos das avenidas Padre Cícero e Carlos Cruz, e na Rua Rui Barbosa com Avenida Humberto Bezerra. Nesta última, toda sinalização horizontal e vertical foi melhorada. "Nós temos que sinalizar para a população ter consciência que Juazeiro é uma cidade grande e que os condutores e pedestres precisam respeitar", pede o diretor do Demutran. Também foi criado o projeto "Esquina Limpa", que pintará de amarelo todas as equinas para dar melhor visibilidades aos motoristas e garantir segurança ao pedestre que atravessa a rua.

Além disso, foi efetivada, desde o mês de abril, a regularização dos ciclomotores, as populares "cinquentinhas", que possuem até 50 cilindradas. Elas deverão ser registradas, sendo emplacadas como os demais veículos motorizados e exigindo habilitação de seus condutores. Para pilotá-las é necessário possuir Carteira Nacional de Habilitação (CNH) na categoria A ou Autorização para Condução de Ciclomotor (ACC). Por isso, a fiscalização foi intensificada e, na primeira semana, mais de 90 foram retidas.

Emplacamento

"Estamos fazendo blitz, tirando de circulação os veículos sem condições, que são precários e as 'cinquentinhas', que são as mais usadas nas praticas de assalto e furto. Além disso, muitas pessoas andam na contramão, não obedecem a sinalização. Muitos (moradores) acham errado, mas os que podem devem ir no Detran emplacar", diz Cipriano.

Para o motorista Samuel Barbosa que, diariamente, trabalha fazendo a linha entre Crato e Juazeiro do Norte, as medidas melhoraram o tráfego e trouxeram melhor segurança, principalmente, no Centro da cidade. "O pessoal é muito imprudente, principalmente, motoqueiro. Eles entram sem dar sinal, em alta velocidade".

Segundo Pedro Cipriano, mesmo com trabalho constante de fiscalização, ainda é comum se flagrar muitas infrações, principalmente, veículos irregulares, motoristas sem habilitação ou com carteira vencida e estacionando em local proibido. Há, aproximadamente 8 mil veículos sem o licenciamento no Município. Para diminuir este número, o órgão lançou um programa no mês de maio para dar 60% de descontos no pagamento de multas aplicadas pelo órgão até dezembro de 2017. A campanha vai durar até agosto, mas pode ser prorrogado por mais 90 dias.

Enquete

Qual o principal problema de mobilidade ?

"O trânsito é muito lento. Para melhorar, deveria ser proibido o estacionamento em um dos lados da Rua São Pedro, porque fica muito limitado para os carros andarem lado a lado. Isso melhoraria muito o fluxo "

Samuel Barbosa Júnior
Motorista.

"São poucos ônibus destinados a atender os bairros. Tem muito coletivo intermunicipal. Meu bairro, o Tiradentes, é o mais negligenciado. Nos fins de semana é mais difícil ainda aparecer"

Jason Scott
Atendente de telemarketing.

PROGRAMA DE MODERNIZAÇÃO Cultivo de algodão ressurge com força total no Estado



Segundo a Seapa, estão sendo investidos R$ 2 milhões para introdução de novas tecnologias nessa cultura




O Programa, criado com o auxílio de muitas mãos, prevê a capacitação de técnicos e produtores em novas tecnologias de produção de algodão herbáceo ( FOTO: ALEX PIMENTEL )
 por Alex Pimentel - Colaborador

O cultivo do algodão está retornando com força no Ceará. Após um longo período sem plantio, este ano, a colheita deve chegar a um milhão de quilos. Esta cultura agrícola estava praticamente sumida no Estado. No início da década de 1970, sua produção se aproximava das 380 mil toneladas, em caroço. A área plantada era de 1,2 milhão de hectares. Agora, produtores e usineiros voltaram a se animar com a cotonicultura. A revitalização está sendo promovida através do programa de modernização realizado pela Secretaria de Agricultura, Pesca e Aquicultura (Seapa), do Governo do Estado.

Segundo o secretário Euvaldo Bringel, titular da Seapa, estão sendo investidos R$ 2 milhões para introdução de novas tecnologias nessa cultura. O montante está sendo aportado em uma experiência piloto com assistência técnica exclusiva e intensiva. Serão atendidos ao todo 600 produtores de Quixeramobim, Quixadá e Senador Pompeu, municípios do Sertão Central que estão envolvidos na Fase I do Programa. "A ideia é dar todas as condições necessárias para que possamos estimular a alta produtividade do algodão".

O Programa, criado com o auxílio de muitas mãos, prevê a capacitação de técnicos e produtores em novas tecnologias de produção de algodão herbáceo; capacitação de técnicos e produtores com foco na gestão de propriedade rural; seleção de áreas e produtores para instalação de Unidades Técnicas Demonstrativas (UTD's); realização de visitas técnicas e encontros com produtores; estímulo à expansão da área plantada; introdução de máquinas colheitadeiras de pequeno porte em substituição à colheita manual e criação da Câmara Setorial do Algodão. A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará (Ematerce), o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará (FAEC), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e o Sindicato das Indústrias da Extração de Fibras Vegetais e do Descaroçamento do Algodão do Estado do Ceará (Sindialgodão) são os parceiros desse novo modelo. Seus representantes participaram da apresentação do Programa em Quixeramobim.

O agropecuarista e industrial Airton Carneiro, de Quixeramobim, é um dos mais entusiasmados com a proposta. Com o novo modelo de cultivo, a Usina Carneiro, nesta cidade, deverá despontar novamente como a maior beneficiadora de plumas do Estado. O início do beneficiamento está programado para a segunda quinzena deste mês. As maquinas já estão prontas. Ele está recebendo a produção da região, incluindo Senador Pompeu e Mombaça. Os armazéns da fábrica estão começando a lotar de plumas, consideradas as melhores do mundo, pela cor, resistência e maior cumprimento da fibra.

Foi ele quem apresentou a planilha de custos ao grupo de participantes da cadeia produtiva da cotonicultura, no encontro com o secretário da Seapa. De acordo com os cálculos, as despesas, do plantio as armadilhas para o bicudo, principal praga, somam R$ 1.970,00 por hectares. Antes, chegavam a R$ 3.630,00. Com a arroba comercializa a R$ 33,00, o lucro líquido estimado é de R$ 5.150,00. Atendendo às orientações técnicas, incluindo a aplicação do "vazio sanitário", o algodão vai beneficiar a todos.

Estimativa

O presidente do Sindalgodão, Marcos Silva Montenegro, apontou a estimativa da colheita experimental deste ano, de uma tonelada, somente na agricultura familiar. Com a utilização das sementes melhoradas, especialmente tratadas para resistirem aos efeitos dos herbicidas e inseticidas, o trabalho se torna mais fácil. Quanto ao bicudo, após a colheita, é preciso arrancar os algodoeiros e enterrá-los, para evitar a proliferação do predador natural.

Para aplicar esse novo método de defeso, os pequenos produtores receberão R$ 200,00 pela mão de obra, por hectare. O incentivo deverá ser associado a uma exigência disciplinar. Além dessa proposta, está sendo avaliada a possibilidade de os pronafianos terem a última parcela de empréstimos para essa atividade bloqueada se não cumprirem a orientação técnicas do programa de modernização, completou Euvaldo Bringel.

CONVENÇÕES PARTIDÁRIAS Candidatos ao governo com nomes oficializados



As convenções para homologação de nomes de candidatos podem acontecer até o próximo dia 5 de agosto



Ailton Lopes, candidato do PSOL, cumprimenta sua companheira de chapa, entre os candidatos ao Senado, no lançamento de sua candidatura ( FOTO: CID BARBOSA )


Os candidatos a governador e vice do PSL, Hélio Góis e Ninon Elizabeth, na convenção realizada na manhã de ontem em Fortaleza ( FOTO: SAÚLO ROBERTO )

As convenções estaduais do último fim de semana oficializaram os nomes de três candidatos ao Governo do Estado do Ceará: Ailton Lopes (PSOL), Hélio Góis (PSL) e General Theophilo (PSDB). Faltam ser homologadas as candidaturas de Francisco Gonzaga (PSTU) e Camilo Santana (PT), até o próximo domingo, segundo o Calendário Eleitoral estabelecido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
> Resolução do PT enquadra Camilo

A exceção do PSDB (leia matéria na página seguinte), que escolheu apenas o seu candidato a governador e os dois senadores, os demais partidos apresentaram os seus representantes para a disputa da chefia do Executivo estadual, com o vice e os dois senadores. Duas das três convenções aconteceram no domingo, a outra, do PSOL coligado com o PCB, aconteceu sábado.

A chapa majoritária da coligação será composta pelo bancário Ailton Lopes, ao Governo do Estado, e da militante do Partido Comunista do Brasil (PCB), Raquel Lima, como vice. Esta será a segunda eleição disputada por Ailton. Em 2014, ele foi derrotado no primeiro turno com 2,40% dos votos válidos. A convenção foi oportunidade para ele criticar promessas não cumpridas pela gestão estadual e conclamar os correligionários a buscar o voto dos "descontentes" com o cenário político.

Condomínio

A chapa PSOL-PCB apresenta para o Senado Federal, a professora, Anna Karina Cavalcante (PSOL), e o pastor evangélico, Jamieson Simões (PSOL). Já para as eleições proporcionais, serão, aproximadamente, 60 candidatos que disputarão vagas na Assembleia Legislativa e Câmara Federal. Apenas um deles, o operário da construção civil, Benedito Oliveira, candidato a deputado federal, é do PCB, os demais são da legenda psolista.

Antes das chapas proporcional e majoritária serem homologadas, a frase "Marielle presente" foi uma das mais ouvidas no encontro do partido. Marielle era vereadora do PSOL do Rio de Janeiro. Ela foi assassinada com quatro tiros na cabeça na noite do último dia 14 de março.

A defesa da classe trabalhadora, inclusive, foi um dos pontos destacado pelo candidato Ailton Lopes, durante discurso. Segundo ele, a chapa proporcional conta com candidatos que vão desde catadores a profissionais liberais. Ele afirmou, ainda, que o desafio do partido será enfrentar uma disputa com "compra de voto" e que, do outro lado, apresenta um "condomínio eleitoral", reunindo 24 partidos aliados ao governador Camilo Santana (PT), entre eles o MDB, do senador Eunício Oliveira.

A convenção do Partido Social Liberal (PSL) neste domingo, homologou a candidatura do advogado Hélio Góis para o Governo do Estado. Seu partido, só está coligado à Democracia Cristã (DC) para a disputa proporcional. "A nossa expectativa para este pleito é de uma luta até desigual, exatamente porque somos um partido com parcos recursos", declara o candidato. Góis afirma que o partido conta com a militância espontânea para tentar alavancar sua candidatura. "Tudo o que temos é o exército de homens de bem querendo a mudança do nosso Estado", explica. Sua companheira de chapa será a também advogada Ninon Elizabeth Tauchmann.

Além de Góis e da vice, o PSL também lançou candidatos ao Senado: o ginecologista Márcio Pinheiro e o pastor Pedro Ribeiro, que não compareceu ao evento por questões de Saúde. Pinheiro ironizou a coligação feita pelo governador Camilo Santana (PT), que aglutina mais de vinte sigla em torno de seu nome.

"Vai reunir tudo aquilo que a gente é contra, e é isso que a gente espera que a sociedade cearense entenda", diz. O evento contou com a presença de vários políticos ligados às duas siglas, como os vereadores de Fortaleza Jorge Pinheiro (DC) e Marcelo Lemos (PSL).

Apesar de não ter sido reproduzida na chapa majoritária, a coligação PSL e DC na disputa proporcional, segundo o presidente estadual do DC, o deputado Ely Aguiar, as duas siglas devem lançar 69 candidatos para a Assembleia Legislativa e 33 para a Câmara dos Deputados.

Com indecisão recorde e em maioria, mulheres devem definir eleição presidencial deste ano





Em meio a eleição eleitoral mais indefinida desde a redemocratização brasileira, uma grande parte dos brasileiros ainda não decidiu em qual candidato vai votar nas eleições deste ano para ocupar a Presidência da República. Por enquanto, as pesquisas ajudam a clarear quem são — e o que querem — os indecisos. É na população feminina que se concentrará essa disputa.

Maioria (52,5%) dos eleitores, as mulheres são também as mais indecisas e resistentes em escolher o próximo (ou próxima) presidente: nada menos que 80% não têm qualquer candidato (54% indecisas e 26% declararam voto branco ou nulo), segundo pesquisa Datafolha de junho, com resposta espontânea. Entre os homens, esse índice é de 58%. Nas últimas quatro eleições, nesta época do ano, esta taxa nunca foi tão alta entre as mulheres, tendo variado entre os 49% de indecisas em 2006 e os 72% em 2014.

As duas últimas das 18 perguntas da mais recente pesquisa Datafolha de avaliação do governo Temer jogam luz sobre o que elas querem: à questão “qual deve ser a prioridade do presidente eleito”, 46% das mulheres responderam saúde, mais do que a soma das opções seguintes, educação (18%), desemprego (8%), segurança (5%) e economia (3%). No eleitorado masculino, saúde liderou, mas com 35% das respostas. Na pergunta sobre o principal problema do país, saúde liderou as respostas entre as mulheres (19%), mas, entre os homens, a corrupção ficou em primeiro (21%).

A demora das mulheres em encontrar o candidato pode ser resultado também da dissonância entre o que elas querem e o que lhes é oferecido. O Jornal O Globo enviou perguntas sobre como atrair o eleitorado indeciso feminino aos cinco pré-candidatos mais bem colocados nas pesquisas (à exceção do ex-presidente Lula, que está preso). A área de saúde praticamente não foi citada como parte das propostas.

Tendências apoiadas

Nos cenários estimulados, com os nomes dos candidatos, 41% das mulheres seguem sem um escolhido, ante 25% dos homens. Em números absolutos, são 25,5 milhões de eleitoras declarando pretender votar nulo, branco ou “em ninguém”. Além dessas, outras 6,1 milhões estão indecisas — contra 1,5 milhão de homens nessa situação, uma proporção de quatro para um. Fatia mais do que suficiente para decidir a eleição. Em 2014, Dilma Rousseff venceu Aécio Neves por 3,4 milhões de votos.

O Jornal O Globo ouviu dez eleitoras indecisas em cinco estados na última semana. Além de seus depoimentos, a análise de especialistas em pesquisas e eleições facilita entender por que há diferenças marcantes de gênero no comportamento eleitoral. A condição de usuária mais frequente dos serviços públicos, incluindo a saúde, sobretudo se há crianças sob seus cuidados, explica a preocupação das mulheres em relação à área, aponta a socióloga Fátima Pacheco Jordão.

Segundo ela, especialista em comunicação política com ênfase em gênero, a necessidade da mulher em debater a “vida real” faz com que ela só comece a se envolver na eleição a partir da propaganda de rádio e TV.

É na comunicação da massa, explica Fátima, que os problemas do cotidiano são debatidos pelas campanhas. Com isso, a proporção de indecisas diminui ao longo da corrida, mas permanece superior à dos homens até as vésperas da votação.

“De 65% a 75% dos indecisos ou que declaram o não voto, nos últimos dois ou três dias antes do segundo turno, são mulheres. Por isso, são elas que decidem as eleições. E os estrategistas sabem disso: na reta final, intensificam a linguagem com o código feminino. A inflação é tratada no contexto do consumo de alimento, grávidas ganham espaço na propaganda”.

Diretor do Datafolha, Mauro Paulino diz que os números corroboram essa avaliação e formula uma nova explicação para a saúde ser mais citada por elas. “As mulheres têm assumido papel de protagonismo na elaboração do voto pelos homens. A tendência do voto feminino acaba se reproduzindo depois, nas pesquisas seguintes ou na eleição”, explica Paulino.

“A saúde aparecer à frente não surpreende. Um problema de saúde, especialmente em famílias mais pobres, para quem o atendimento é pior, frequentemente é algo grave, pode morrer alguém. É algo que fica muito marcado na pessoa, mais do que ter sofrido assalto ou perdido emprego”, acrescenta Paulino.

A cientista política Hannah Maruci, do Grupo de Estudos de Gênero e Política da USP, destaca que as ações voltadas para as necessidades femininas são as primeiras a serem sacrificadas nos cortes orçamentários, o que poderia explicar o descontentamento das mulheres com o cenário atual. O rebaixamento da Secretaria de Políticas para as Mulheres, que perdeu status de ministério, é simbólico. “Elas sentem o peso maior da crise e do desemprego. É quando a violência, inclusive doméstica, aumenta”.

O que propõem os presidenciáveis

Jair Bolsonaro (PSL) vê seu desempenho cair de 26% entre os homens para 12% entre as mulheres no cenário sem Lula. Ele acredita que as mulheres “têm sensibilidade maior que a dos homens”, o que explicaria a decisão do voto por último, e diz que sua candidatura deve ir bem nesse segmento pois representa melhor os “valores familiares e de segurança”.

Marina Silva (Rede), que tem a preferência de 17% das mulheres e de 12% dos homens, diz querer aumentar a participação feminina nas “decisões de governo”. Citou como propostas a ampliação de creches; políticas de empreendedorismo comunitário; e fortalecimento do combate à violência contra a mulher.

Ciro Gomes (PDT), que cai de 12% entre os homens para 8% entre as mulheres, promete formar um ministério “50% feminino”. O pedetista planeja revogar o item da reforma trabalhista que permite o trabalho de gestantes em ambientes insalubres, ampliar número de creches, combater desigualdade salarial e melhorar a “atenção à saúde da mulher”. A assessoria do candidato deu como exemplo de problemas a demora em se ter diagnóstico de câncer de mama na rede pública.

Geraldo Alckmin (PSDB) — com iguais 7% entre homens e mulheres — defende “ampliação da participação da mulher no mercado de trabalho, nas eleições e em espaços políticos”. E promete trabalhar por “ações que assegurem isonomia de remuneração no serviço público e na iniciativa privada”.

Alvaro Dias (Podemos) varia de 5% entre os homens para 4% no eleitorado feminino e quer “implantar políticas para eliminar desvantagens da mulher” e “monitorar leis de proteção”.

Com informações do Jornal O Globo

Mais de 15% dos adolescentes entre 15 e 17 anos estão fora das salas de aula no Brasil





Colocar na escola os 2,5 milhões de crianças e adolescentes que ainda não estudam é apenas uma das tarefas dos próximos governantes que se comprometerem com a melhora na educação. É preciso garantir que essas pessoas conseguirão completar o ciclo educacional, o que tem se mostrado um dos maiores desafios do país, de acordo com especialistas.

A maior prova disso é que, embora 98,5% das crianças de 6 a 14 anos estejam nas escolas, o mesmo não acontece nas etapas seguintes. Entre os adolescentes de 15 a 17 anos, que deveriam estar no ensino médio, só 84,3% estudam. O maior desafio, atualmente, se concentra nessa faixa, aponta Olavo Nogueira Filho, diretor de políticas educacionais do movimento Todos Pela Educação. “Alguns índices têm melhorado, mas, quando chega aos anos do ensino médio, ainda há problemas”, diz. O número de matrículas nessa faixa etária caiu de 8,1 milhões, em 2016, para 7,9 milhões no ano passado.

Além de ter menos pessoas chegando ao ensino médio, há um alto índice de evasão escolar nessa fase, que, segundo o Ministério da Educação, chega a 11,2%. É o caso de Lucas Gomes, 23 anos, que só estudou até o primeiro ano dessa etapa e, agora, pensa em voltar. Morador de uma das regiões mais pobres de Brasília, a Estrutural, ele abandonou as salas de aula para trabalhar. “Não terminei por necessidade de trazer sustento para a casa. Meus familiares não tinham boas condições financeiras”, conta ele.

Hoje, oito anos depois da interrupção do ensino, o serralheiro considera a possibilidade de frequentar novamente a escola, por melhores condições de vida e acesso ao mercado de trabalho. A preocupação dele não é à toa. De acordo com estudos, a renda do brasileiro pelo menos dobra com a obtenção de um diploma universitário. Na faixa etária de 30 a 39 anos, a renda mensal com Ensino Médio completo é de R$ 1,8 mil. No entanto, quando analisado o mesmo grupo com quem tem diploma, chega a R$ 4,7 mil, 2,6 vezes maior.

Como Lucas, praticamente metade dos homens de 15 a 29 anos que não estudam alegam que precisam trabalhar. O motorista Vilmar de Souza, 51, parou na quarta série, pelo mesmo motivo. “Não dava para fazer os dois. Trabalhava de manhã e estudava à noite, mas não tinha horário certo para sair do serviço”, explica. Apesar de se dizer arrependido de ter saído tão cedo da escola, quando questionado sobre uma possível volta, ele nega a possibilidade, diante da crise econômica vivida no país. “No momento, estou pensando em trabalhar de dia e de noite, ter dois serviços”, revela.

Souza acredita que o importante foi ter conseguido investir no ensino dos filhos. “Os três concluíram os estudos em dia”, conta, alegre. Uma vitória em um país que tem um grave problema de defasagem escolar, lembra Marina Águas, analista do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com o órgão, 14,4% dos jovens de 11 a 14 anos estão em séries atrasadas em relação às suas idades. Na faixa de 15 a 17 anos, um terço dos adolescentes ainda está no ensino fundamental ou já abandonou a escola.

Um dos fatores que tornam o ensino médio pouco atrativo para os estudantes no Brasil é a média de quatro horas de aula por dia, abaixo do que ocorre em países desenvolvidos. Entre os 30 países que lideram o ranking do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (PISA, na sigla em inglês), nenhum tem menos de sete horas por dia, ressalta a professora Cláudia Costin, diretora do Centro de Excelência e Inovação em Políticas Educacionais da Fundação Getúlio Vargas (Ceipe-FGV).

Além disso, o Brasil tem 13 disciplinas obrigatórias para dividir nesse tempo, enquanto a média desses países é oito. “É uma tragédia anunciada. O currículo acaba sendo enciclopédico, com aulas não muito engajadoras. Como um professor consegue dar uma aula interessante com tão pouco tempo para desenvolver o conteúdo?”, questiona.

Falta interesse de alunos e professores

A dona de casa Maria Aparecida, 60 anos, consegue evidenciar várias deficiências na educação brasileira em apenas uma frase. “Eu não gostava (das aulas), e também tinha dificuldades”, diz, como justificativa por ter deixado as salas de aula aos 11 anos de idade, no primeiro ano do ensino fundamental. A falta de atratividade das escolas e o despreparo de professores, para citar apenas dois dos problemas que ficaram claros para ela, levam a estatísticas preocupantes, como o fato de que 24 em cada 100 crianças que entram na escola seguem o mesmo caminho que a dona de casa e a abandonam ainda no ensino fundamental. Dos 76 alunos que continuam, 17 não completam o ensino médio.



Apesar de Maria Aparecida ter largado a escola no fim da década de 1960, quando apenas 48% das crianças entre quatro e 17 anos estudavam, números mais recentes mostram que a falta de interesse dos brasileiros nos estudos ainda é forte. Tem, inclusive, aumentado nos últimos anos. Entre as pessoas de 18 a 24 anos, 28% não trabalhavam nem estudavam no ano passado, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A fatia é maior que a observada em 2016, de 26%. Passada quase meia década desde que Maria Aparecida abandonou as salas de aula, nenhum governo conseguiu fazer com que os jovens tenham interesse em estudar.
Desmotivados

Um dos motivos para tanto desinteresse é que, no Brasil, ser professor não é a opção dos melhores estudantes, o que interfere na atuação dos profissionais na sala de aula, um dos fatores primordiais para manter os alunos na escola. Estudo do movimento Todos pela Educação aponta que sete em cada 10 brasileiros que ingressam no curso de pedagogia tiram notas abaixo da média no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Dois não têm nota suficiente nem mesmo para pedir o certificado de ensino médio.

Além disso, de acordo com a pesquisa, 49% dos professores não recomendam a profissão para um jovem, o que mostra que eles não estão satisfeitos com pontos como plano de carreira e remuneração. “A atuação dos profissionais tem impactos muito fortes no aprendizado. Se não conseguirmos reverter esses números, dificilmente veremos mudanças”, afirma Olavo Nogueira Filho, diretor de políticas educacionais do Todos pela Educação.

Para que o país possa contar com melhores professores, além de garantir que eles terão condições de trabalho dignas, é preciso que os cursos de pedagogia sejam mais profissionalizantes, “com mais chão de escola e menos matéria burocrática”, afirma a professora Cláudia Costin, diretora do Centro de Excelência e Inovação em Políticas Educacionais da Fundação Getúlio Vargas (Ceipe-FGV). “Os bons sistemas educacionais do mundo inserem o futuro professor nas escolas desde o começo da formação, até que se tornem prontos para assumir. O ensino tem que ser muito mais prático”, defende.

Regulamentar esses fatores é, segundo ela, responsabilidade do governo federal. Cláudia lembra que o Ministério da Educação anunciou, recentemente, que prepararia uma base nacional docente, no mesmo molde da base nacional curricular aprovada em 2017, que padroniza o currículo dos estudantes. “É fundamental. Como o assunto já foi levantado, será tarefa para o próximo presidente criá-la”, espera.

Com informações do Jornal Correio Braziliense

4 anos depois, primeiras delações da Operação Lava Jato só levaram a uma condenação no STF




Quatro anos depois da primeira delação da Operação Lava Jato e mais de três anos desde a abertura dos 22 primeiros inquéritos para investigar autoridades com foro privilegiado no Supremo Tribunal Federal, apenas uma investigação levou um réu à condenação – o deputado Nelson Meurer (PP-PR), neste ano.

Nos outros dez casos encerrados ocorreu o arquivamento do inquérito, a rejeição da denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) ou a absolvição no julgamento final. Em seis processos, os próprios investigadores apontaram falhas nas delações ou admitiram não ter conseguido levantar as provas necessárias, solicitando o arquivamento. Em três casos, foi o STF que julgou como insuficientes a denúncia apresentada pelo Ministério Público.

Se a denúncia é aceita — o que já ocorreu em oito ocasiões —, o inquérito vira ação penal. Só no fim é que há julgamento para definir a culpa. Até agora, dois processos já chegaram a esse ponto. Meurer foi condenado em maio e em junho a Segunda Turma absolveu a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), e seu marido, o ex-ministro Paulo Bernardo.

Os inquéritos analisados se basearam, geralmente, nas duas primeiras delações da Lava-Jato: a do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e a do doleiro Alberto Youssef, fechadas em 2014. Elas ajudaram a revelar o cartel das empreiteiras que dividiam entre si os contratos da Petrobras e a desvendar a dimensão do esquema de corrupção que beneficiava vários partidos.

No caso dos processos arquivados pelo STF, a falta de provas foi o principal motivo para a rejeição das acusações. Para que alguém seja condenado, não basta que um delator aponte um crime, ou que outro colaborador corrobore a versão inicial. É preciso conseguir provas. No processo de Gleisi e Bernardo, o relator, ministro Edson Fachin, votou a favor da condenação pelo crime de caixa dois, mas pela absolvição no caso de corrupção passiva, uma vez que Gleisi ainda não tinha poderes para oferecer contrapartidas à suposta propina na data do suposto crime, em 2010. A maioria da Segunda Turma acabou absolvendo-os de todas as acusações.

Meurer, por outro lado, foi condenado a 13 anos, nove meses e dez dias de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. No caso dele, depósitos fracionados em conta bancária em datas compatíveis com os relatos dos delatores, depoimentos de testemunhas, e dados sobre contatos telefônicos, viagens e estadas em hotéis ajudaram a formar a convicção dos ministros.

Crítica às delações

Os números permitem leituras diferentes dependendo do ponto de vista. No STF, sempre que uma acusação é rejeitada, alguns ministros fazem questão de atacar o trabalho dos investigadores. Gilmar Mendes, por exemplo, costuma criticar a abertura de um inquérito que mancha a imagem do investigado, mas, depois, é arquivado. Já um integrante do Ministério Público ouvido pelo Jornal O Globo apontou que é preciso investigar quando um fato parece ser ilícito, mas que não há como garantir que o desfecho será a condenação e que não é “desproporcional” um número significativo de processos terminar sem punição. Dos 22 inquéritos, em 15 já houve a apresentação de denúncia.

Edvandir Paiva, presidente da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), critica a forma como o MPF faz suas delações. Ele discorda da prática de se negociar antecipadamente a pena com o colaborador. Para Paiva, isso deve ser feito pelo juiz e somente se a colaboração for efetiva. Há uma disputa de poder entre a PF e o Ministério Público em torno das colaborações premiadas – a polícia quer participar mais ativamente dos acordos.

“Não basta a palavra do colaborador. Ele precisa apresentar documentos ou elementos de prova, ou dizer onde estão para que a polícia possa ir buscar. Em algumas colaborações premiadas, se contentaram com a palavra do colaborador”, disse Edvandir. “Pode ter ocorrido tudo o que o colaborador falou, pode ser verdade, mas, se não consegue provar, não adianta nada”, acrescentou.

As provas exigidas na hora de analisar o recebimento da denúncia não precisam ser tão fortes quanto no momento do julgamento final. Seis ações penais aguardam a análise definitiva. Cinco delas continuam na Corte, enquanto uma, envolvendo o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (MDB-RJ), foi enviada para a primeira instância.

No começo de 2015, haviam 26 inquéritos da Lava-Jato no STF. Quatro deles, porém, foram anexados a outros dessa lista.

PGR pediu arquivamento em seis casos

Dos dez inquéritos em que o investigado se livrou da acusação, em seis casos a própria PGR entendeu que deveria haver arquivamento. No caso do senador Edison Lobão (MDB-MA) e do deputado Simão Sessim (PP-RJ), por exemplo, o então procurador-geral da República Rodrigo Janot disse que as informações prestadas por Paulo Roberto Costa eram “verossímeis”, mas, apesar da investigação, não houve provas para corroborá-las. Já no inquérito do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), a PGR destacou divergências nos relatos de Youssef e do policial federal Jayme Alves de Oliveira Filho, o Careca, apontado como entregador de dinheiro do doleiro.

Um dos arquivamentos pedidos pela própria PGR se deu por razão mais simples. Foram abertos dois inquéritos para investigar o deputado Eduardo da Fonte (PP-PE) pelo mesmo fato: a suposta intermediação para que o ex-presidente do PSDB Sérgio Guerra recebesse propina de empresa investigada numa CPI. Assim, um deles foi arquivado enquanto o outro continuou a andar.

Mesmo quando o inquérito sobrevive a essa primeira etapa e a PGR oferece denúncia no STF, ele pode morrer quando os ministros da Segunda Turma a analisam. Foi o que ocorreu em três casos, um deles justamente o segundo inquérito de Eduardo da Fonte A PGR entendeu que havia elementos suficientes para a continuidade dos processos, transformando os investigados em réus. Mas a Segunda Turma avaliou que não havia provas para corroborar as delações. Em dois casos, a própria PGR já apresentou recurso contra a decisão. Um deles foi negado.

Há ainda quatro inquéritos que geraram denúncias, ainda não analisadas. Por fim, o inquérito mais atrasado é o do senador Humberto Costa (PT-PE). A Polícia Federal chegou a solicitar o arquivamento, mas a PGR não endossou pedido e, depois, apontou a existência de depoimentos convergentes e extratos bancários que exigem o aprofundamento da investigação. Com o julgamento concluído em maio no STF restringindo o foro privilegiado, a PGR pediu que o caso vá para a primeira instância, mas não houve decisão ainda.

Com informações do Jornal O Globo

Ministérios deixaram de gastar R$ 12,7 bilhões de verbas autorizadas





Os ministérios deixaram de gastar R$ 12,7 bilhões em verbas autorizadas até o mês de julho. Segundo o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, dos R$ 130,7 bilhões autorizados pela equipe econômica para serem gastos este ano, R$ 118 bilhões haviam sido desembolsados, num processo chamado de empoçamento de recursos.

De acordo com a Secretaria do Tesouro, as emendas parlamentares concentram o maior volume de empoçamento, com R$ 2,4 bilhões não gastos. Em seguida, vêm os Ministérios da Saúde, da Defesa e da Educação. Os encargos financeiros da União, executados em sua maioria pelos Ministérios da Fazenda e do Planejamento, concentram um empoçamento de R$ 1,8 bilhão.

Almeida disse não saber as razões do fenômeno, por tratar-se de problemas de gestão de cada órgão público. O secretário afirmou ainda não saber se os gastos serão executados até o fim do ano nem se o volume de empoçamento tende a aumentar ou diminuir nos próximos meses.

Vale lembrar que, nesta segunda, o governo editará um decreto com o limite de movimentação e empenho de cada pasta. Em tese, os R$ 12,7 bilhões poderiam ser usados para diminuir o déficit primário em 2018.

Fies 2018: resultados serão divulgados nesta segunda-feira





Os resultados do Financiamento Estudantil (Fies) do segundo semestre de 2018 saem nesta segunda-feira (30). Os nomes dos candidatos pré-selecionados serão divulgados no site do programa.


Nesta edição são ofertadas 155 mil vagas de financiamento, sendo 50 mil com juro zero.


Poderiam participar da seleção, estudantes que fizeram o Enem a partir da edição de 2010 e obtiveram média aritmética das notas nas provas igual ou superior a 450 (quatrocentos e cinquenta) pontos e nota na redação superior a 0 (zero).


Para concorrer pela modalidade de financiamento do Fies, é preciso ter renda familiar mensal bruta per capita de até três salários mínimos. Já na modalidade P-Fies (quando o agente financeiro é o banco), a renda familiar mensal bruta per capita deve ser de de três a cinco salários mínimos.

Modalidades do Fies


O novo Fies tem duas modalidades:


Fies: Candidatos cuja renda familiar per capita seja de até 3 salários mínimos. Nesse tipo de financiamento, o pagamento será feito com juros zero.


Caso o estudante se encaixe nessa faixa de renda, só poderá participar do P-Fies se não houver vaga para o curso desejado na primeira modalidade.


P-Fies: Candidatos cuja renda familiar per capita esteja entre 3 e 5 salários mínimos. Nessa modalidade, o financiamento é feito por condições definidas pelo agente financeiro operador de crédito (banco).

Teto de semestralidade


A seleção do segundo semestre terá o retorno do limite máximo do valor das mensalidades cobertas pelo fundo. Ele voltará a cobrir cursos com mensalidades de até R$ 7 mil, ou R$ 42 mil por semestre. No primeiro semestre, o limite era de R$ 30 mil, o que permitia que apenas cursos com mensalidade de até R$ 5 mil pudessem participar do financiamento.


Conhecido como “teto da semestralidade”, esse limite de R$ 42 mil já existia no antigo modelo do Fies, mas foi reduzido no lançamento do Novo Fies, segundo ele, em nome da “sustentabilidade” do programa.

Cronograma do Fies

Resultado: 30 de julho
Complementação da inscrição: 30 de julho a 3 de agosto
Lista de espera (modalidade Fies): 4 a 24 de agosto



Com informação do G1

quinta-feira, 26 de julho de 2018

Deputado Agenor Ribeiro, não vai à reeleição e apoia o nome de Fernando Santana, como representante da região



Eleito como suplente de deputado estadual em 2016, pelo PSDC, o ex-prefeito de Salitre, Agenor Manoel Rodrigues, obteve, cerca de 17 mil votos à época, contrariando muitos "caciques" da política do Estado e da região, que não acreditavam, que um sindicalista de uma cidade pequena, como Salitre, pudesse chegar à Assembleia Legislativa do Ceará.

No final ano de 2017, assumiu por quatro meses, substituindo Tomas Holanda, e neste período, mostrou-se ser ativo e representou com determinação, a região do Cariri Oeste, apresentando proposituras, todas elas aprovadas e que, mostraram para o resto do Estado, que municípios como: Salitre, Campos Sales, Araripe, Potengi, etc, também faziam parte do mapa do Ceará.

Passados os quatro meses de sua presença, interinamente, na Assembléia do Estado, o deputado estadual, Agenor Ribeiro, mudou de sigla, sendo agora integrante do PPS, e depois de participar de conversações com sua base, preferiu retirar seu nome da possibilidade de ir à reeleição e hoje apoia o nome de outro caririense, de Barbalha, Fernando Santana, que buscará uma vaga na Assembléia do Estado, como representante da região.

Agenor Manoel Ribeiro, mesmo não concorrendo à reeleição, neste ano de 2018, conta com a simpatia de seu colégio eleitoral, e não descarta, voltar a disputar  uma vaga no legislativo estadual, num outro momento.

Neste período que antecede às eleições de outubro vindouro, o deputado, Agenor Ribeiro, percorre os lugares onde recebeu apoio e busca informar da sua decisão política, e como integrante do grupo político, do governador, Camilo Santana, gozando de boa aceitação e prestígio, leva o nome de Fernando Santana, como seu candidato a uma cadeira na Assembleia Legislativa do Ceará, como representante do Cariri e em especial do Cariri Oeste, na busca de contar com ele, na luta pela efetivação de ações voltadas para esta região tão distante da capital e do olhar governamental, ao longo de décadas.

Por Carlos Alberto Albuquerque - Radialista




quarta-feira, 25 de julho de 2018

DRAGAO MOTO PEÇAS REALIZA VII EDIÇAO DO DIA DO MOTOCICLISTA



 O dia do Motociclista é comemorado no dia 27 de Julho. E a Dragão Moto Peças comemora neste dia 28 de Julho de 2018, na sede da empresa. Em sua VII Edição, a comemoração tem como objetivo promover o incentivo ás boas maneiras no transito, como também as formas de prevenções que se deve tomar no mesmo. É um momento social de conscientização onde todos devem realizar uma reflexão de como estão atuando no transito. No evento terá passeata, café da manha, promoções.

Colaboração: Dragão Moto Peças.

ASSOCIAÇÃO SEMEAR É CONTEMPLADA

POR ELY SANTOS



A associação Semear

Foi contemplada com varios cursos da STDS do governo do estado do Ceará fio no dia 18
Na sede do primeiro passo,junto mas de 15 cidades fomos credenciados no programa Criando Oportunidade que nos dará uma turma do Jovem bolsista,com o curso de degne de móveis projetados que contemplará 25 jovens bolsistas e na tarde do mesmo dia foi realizado e
Uma reunião no Instituto sementes da solidariedade que conseguimos os cursos de Confeiteiro de Doces e Salgados
E na Sobef.conseguimos outro curso de costureira. Presidente: Tiago Bruno

AUDIÊNCIA SOBRE ADOÇÃO


Postado por ELY SANTOS 


MPCE, Ministério Público do Estado do Ceará; Cadastro Nacional de Adoção; CEJAI-CE e o Poder Judiciário; Tribunal de Justiça; em parceria com a promotoria de Campos Sales e Salitre, realizaram no Grupinho, audiência sobre adoção, principalmente sobre as formas legais e o cadastro simplificado para possibilitar a todos os interessados, em qualquer município do estado, realizar todo processo.
Presentes ao evento, autoridades locais e regionais, profissionais da área e representantes da sociedade civil.






Por Carlos Alberto Albuquerque - Radialista

CENTRO DE SALITRE RECEBENDO ASFALTO



Postado por ELY SANTOS


Centro de Salitre recebendo ASFALTO nesse momento. SERÃO 10 mil metros de asfalto. Uma luta da administração municipal do Prefeito Rondilson Ribeiro, Vice Maninho, com apoio do Dep. Agenor Ribeiro junto ao Governo do Estado. PROJETO SINALIZE

Dificuldades para abordar eleitores



Na busca por votos que garantam a reeleição, deputados estaduais ou federais admitem resistência e desinteresse da população em conhecer os candidatos da disputa ao Legislativo que acontece neste ano. O deputado federal Chico Lopes (PCdoB) afirma que, diante do descrédito generalizado da classe política, motivado por inúmeros escândalos de corrupção, o mais recomendado, para ele, tem sido ouvir do que conversar.
"Além da quantidade de pessoas indicadas na Lava-Jato, tem um fator extra importante, que é o desemprego. Tudo isso vai estimulando o eleitor, que diz: 'será que todo mundo entra na política para se fazer?', quando a política é o carro chefe da democracia, da geração de empregos. A minha leitura é que vai haver muita disputa e a eleição vai se tornar difícil. Me parece que isso vai ter uma grande importância na proporção que aumenta o voto em branco, diminui o voto válido e, sem o voto válido, complica a eleição dos candidatos".
A mesma dificuldade de abordagem do eleitor têm alguns deputados estaduais. Osmar Baquit (PDT), que tentará permanecer na Assembleia Legislativa, atesta a resistência da população ao se deparar com os candidatos. "No geral, há uma frieza muito grande nessa questão de falar, de comentar", diz.
O deputado estadual Sérgio Aguiar (PDT) vê que a população tem se informado mais por meio das redes sociais. "A mudança (de reação do eleitor) foi no sentido de que a rede social aproxima mais e ocorre uma interação, assim como a presença faz um diferencial na relação pessoal. O interesse ainda é diminuto e vai evoluir com a proximidade do pleito", acredita.
O deputado federal André Figueiredo (PDT) acrescenta, por outro lado, que a redução do período de campanha de 60 para 45 dias também influencia o desinteresse da população pelo debate eleitoral. "Em anos anteriores, estávamos com a campanha na rua, a partir do dia 5 de julho você já tinha material de campanha. Agora é a primeira vez que vamos ter uma campanha começando no dia 16 de agosto. Quando começarmos, aí teremos volume maior de adesão, tudo começa efetivamente, a participação dos eleitores".

Cabo Sabino homenageia Polícia Rodoviária Federal por 90 anos de existência




Odeputado federal Cabo Sabino homenageou, nesta terça-feira (24), nas redes sociais, a Polícia Rodoviária Federal pelos 90 anos de existência.

Confira:

“Há exatamente 90 anos, criava-se a Polícia Rodoviária Federal, para muitos, nascia apenas mais uma polícia com exclusividade para notificar os usuários das rodovias federais e, assim, arrecadar para a União. Ledo engano.

As Polícias Rodoviárias Federais tornaram-se guardiões do asfalto, anjos das estradas, transformadores sociais e o pesadelo daqueles que violam as leis.

Nossa homenagem a esta corporação que tanto tem beneficiado a todos nós, brasileiros”.

Candidatos homologados podem abrir suas contas


Gasolina na Capital cai para R$ 4,40



O novo preço mínimo para o litro da gasolina em Fortaleza foi verificado no Bela Vista IV, localizado na Avenida Rogaciano Leite

O preço mínimo do litro da gasolina nos postos de Fortaleza caiu sete centavos - ou 1,57% - nesta semana, passando de R$ 4,47 para R$ 4,40. O menor valor foi verificado nessa terça-feira no posto Bela Vista IV, localizado na Avenida Rogaciano Leite.

O preço também ficou abaixo do custo mínimo verificado para o combustível na pesquisa semanal realizada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Conforme o levantamento realizado ontem, foram visitados, entre 15 e 21 de julho, 101 postos da Capital cearense.

Reajustes

Além da concorrência no mercado, a redução da gasolina nas bombas dos postos de Fortaleza também reflete as decisões da Petrobras para o reajuste do combustível nas refinarias ao longo deste mês. Entre 1º e 24 de julho, a estatal anunciou quatro reduções no valor do combustível, totalizando um recuo de 5,47%.

A última redução, de 0,94%, entrou em vigor ontem (24). Para hoje (25), a petrolífera informou que os preços permanecerão estáveis nas refinarias.

Por outro lado, a Petrobras anunciou, neste mês, quatro aumentos no valor do produto nas refinarias, somando 4,23%. Pela nova política de preços da estatal, que está em vigor desde meados do ano passado, o preço da gasolina pode ser reajustado diariamente pela Petrobras.

Diesel

A estatal voltou a reforçar que o preço do diesel, por sua vez, segue inalterado desde o dia 1º de junho deste ano em R$ 2,0316. A redução do preço do combustível foi uma das reivindicações dos caminhoneiros na greve feita no fim de maio.

Gasolina na Capital cai para R$ 4,40



O novo preço mínimo para o litro da gasolina em Fortaleza foi verificado no Bela Vista IV, localizado na Avenida Rogaciano Leite

O preço mínimo do litro da gasolina nos postos de Fortaleza caiu sete centavos - ou 1,57% - nesta semana, passando de R$ 4,47 para R$ 4,40. O menor valor foi verificado nessa terça-feira no posto Bela Vista IV, localizado na Avenida Rogaciano Leite.

O preço também ficou abaixo do custo mínimo verificado para o combustível na pesquisa semanal realizada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Conforme o levantamento realizado ontem, foram visitados, entre 15 e 21 de julho, 101 postos da Capital cearense.

Reajustes

Além da concorrência no mercado, a redução da gasolina nas bombas dos postos de Fortaleza também reflete as decisões da Petrobras para o reajuste do combustível nas refinarias ao longo deste mês. Entre 1º e 24 de julho, a estatal anunciou quatro reduções no valor do combustível, totalizando um recuo de 5,47%.

A última redução, de 0,94%, entrou em vigor ontem (24). Para hoje (25), a petrolífera informou que os preços permanecerão estáveis nas refinarias.

Por outro lado, a Petrobras anunciou, neste mês, quatro aumentos no valor do produto nas refinarias, somando 4,23%. Pela nova política de preços da estatal, que está em vigor desde meados do ano passado, o preço da gasolina pode ser reajustado diariamente pela Petrobras.

Diesel

A estatal voltou a reforçar que o preço do diesel, por sua vez, segue inalterado desde o dia 1º de junho deste ano em R$ 2,0316. A redução do preço do combustível foi uma das reivindicações dos caminhoneiros na greve feita no fim de maio.

Mais de 199 mil produtores rurais do Ceará podem regularizar dívidas no BNB



Produtores rurais de todo o Ceará têm pouco mais de 100 dias úteis para comparecer a uma das 45 agências do Banco do Nordeste, para regularizar dívidas de operações contratadas até 2016.
Por meio da Lei 13.340/16, é possível a renegociação do saldo devedor ou liquidação das dívidas com até 95% de desconto para operações contratadas até 2011. Já as operações contratadas entre 2012 e 2016 podem ser regularizadas pela Lei 13.606/18, com pagamento repactuado até 2030.
Toda a rede de atendimento, que conta com sete agências em Fortaleza e 38 em outros municípios, está mobilizada para receber os clientes cujos financiamentos são enquadráveis. Mais de 96,4% desse grupo no Ceará ainda podem regularizar a situação.
"É importante que o produtor rural tenha conhecimento dos benefícios que esses dispositivos legais proporcionam e exerçam seus direitos, renegociando ou liquidando suas dívidas com descontos que podem chegar até o percentual de 95%. O prazo termina no final do ano, e quem regularizar o débito pode também ter a oportunidade de voltar a financiar novos crédito no BNB, e assim dinamizar os seus negócios rurais", explica o superintendente estadual do Banco do Nordeste no Ceará, Jorge Bagdêve.
Desde janeiro, 7.293 produtores procuraram o Banco e estão aptos a novos créditos. Até a primeira quinzena de julho, R$ 245,1 milhões foram regularizados, o que corresponde a 11,6% do total de R$ 2,1 bilhões.
"Convidamos todos aqueles que ainda não procuraram as agências para buscarem atendimento. A aplicação da lei é bem simples. Quem puder, liquida a dívida. Quem não puder, renegocia para pagar em até mais 12 anos", orienta Jorge Bagdêve.
Grande parte dos clientes tem escolhido a primeira opção. De janeiro à primeira quinzena de julho, dívidas rurais da ordem de R$ 103,8 milhões foram liquidadas no Ceará, o que representa 42,3% do montante regularizado. E mais de R$ 142 milhões foram renegociados.
De modo geral, os municípios da região do Semiárido Cearense representam 90% do valor regularizado, por meio de liquidações e renegociações. A maioria das operações enquadráveis é vinculada ao Pronaf - Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar.
Legislação
O prazo de vigência da Lei 13.340, que venceria em 31 de dezembro de 2017, foi prorrogado pela Lei 13.606 para até 27 de dezembro de 2018. Ano passado, foram regularizadas pelo Banco do Nordeste mais de 217 mil operações, o que corresponde a R$ 7,1 bilhões. Os dados correspondem a toda a área de atuação do BNB, que integra todo o Nordeste e norte do Espírito Santo e Minas Gerais.
Quem deseja mais informações sobre as condições de renegociação ou liquidação de dívidas com o Banco do Nordeste, pode procurar uma unidade da rede de agências ou ligar para o número 0800 728 3030.

Postado por flavio pinto

Parque de Eventos vira realidade em Campos Sales - Prefeito Moésio Loiola assina termo de contrapartida da obra




Em meio ao clima de euforia por conta da Festa dos 119 anos de Campos Sales, o prefeito Moésio Loiola prepara mais uma grande obra para ser construída no município.
Nesta terça-feira (24), o prefeito assinou o termo de declaração de contrapartida para a construção do Parque de Feiras e Eventos de Campos Sales, que será construída às margens do Rio Conceição.
O projeto já foi submetido a aprovação da Caixa Econômica Federal e a obra está avaliada em R$ 1.875.731,80 oriunda do Ministério do Turismo com articulação do deputado federal Moses Rodrigues. Porém, por conta do período eleitoral, o dinheiro só será liberado após as eleições de outubro.
O Parque de Eventos será totalmente urbanizado e modernizado com a construção de boxes para feirantes, produtores e comerciantes, banheiros e iluminação de led. Após sua construção, o prefeito Moésio Loiola informa que o parque vai acolher semanalmente a feira livre do município e outras atividades.



Postado por flavio pinto

Campos Sales inicia festa de 119 anos de emancipação política nesta quinta, 26




O município de Campos Sales, no Cariri Oeste, se prepara para celebrar, em grande estilo a comemoração dos 119 anos de sua emancipação política. Entre os dias 26 a 29 de Julho, o prefeito Moésio Loiola promoverá na cidade festivos momentos.
Conhecida como a "Festa do reencontro", filhos da terra e visitantes terão a oportunidade de participar de vasta programação cultural, com shows de artistas locais e de renomadas bandas.
O prefeito Moesio Loiola e sua equipe tem preparado tudo com o objetivo de enaltecer a grandeza do município de Campos Sales enquanto cidade polo da Região Sul do Cariri.
Entre os artistas confirmados estão: Vicente Nery, Avine Vinny, Érica Diniz, Italo & Renno, Forró Real e Taty Gyrl, entre outros.

Postado por flavio pinto

Brasil vive a mais baixa cobertura vacinal dos últimos dez anos: casos de sarampo e febre amarela têm colocado Brasil em alerta




Somente neste ano três doenças consideradas erradicadas voltaram a assombrar os brasileiros: a febre amarela, o sarampo e a poliomielite, que teve um caso registrado na Venezuela este mês. A situação é preocupante porque o país vive a mais baixa cobertura vacinal dos últimos dez anos.

No início do ano, houve um alarde em relação ao número de casos de febre amarela. Foram registrados, entre julho de 2017 e abril deste ano, 1.127 casos da doença, quase o dobro que o mesmo período no ano anterior. O aumento dos casos ampliou a procura e chegou a faltar a vacina em algumas regiões, tanto na rede pública quanto na rede privada. Para sanar a crise, o governo passou a adotar a dose fracionada do medicamento e reduziu a imunização a uma única dose.

Desde janeiro, já foram registrados 677 casos de sarampo. Amazônia e Roraima têm os maiores índices da doença. Os casos, segundo as autoridades, estão relacionados ao fluxo migratório da Venezuela. Também vem do país vizinho a informação de um caso de poliomielite. A América Latina foi considerada zona livre da doença em 1994. No Brasil, o último caso ocorreu em 1989.

Para Alexandre Alberto Freire Jorge, enfermeiro coordenador do curso de Enfermagem do Centro Universitário IESB, a ocorrência de casos recentes é um dos fatores da baixa imunização. “Os pais não conviveram com pessoas que tiveram essas doenças e, portanto, relaxam com a imunização, achando que ela não é mais necessária”, explica.

O fato de não haver doenças no país não pode ser, segundo o coordenador, motivos para reduzir a vacinação e é indispensável o mapeamento da trajetória destes vírus, além da promoção de campanhas de vacinação, para evitar óbitos.

Freire defende que o sistema público de saúde amplie o atendimento à população. “É preciso que todos os postos tenham sala de vacinação e eles estejam abertos na hora em que a população precisa. Não é possível que os pais levem a criança ao posto e ela não possa ser vacinada por indisponibilidade de atendimento, o que vemos ocorrer com muita frequência”.

Há, também, um movimento de pais que são contrários à vacinação por acreditar que elas fazem mal. “A Fiocruz, que é quem produz vacinas para a Rede Pública de Saúde, já fez vários estudos e todos comprovam que a vacina não traz riscos consideráveis à saúde. As reações adversas ocorrem com raridade”, conta Jorge.

Vacina não é só coisa de crianças. Há várias doenças que exigem doses periódicas para imunização, como o caso da antitetânica. Para quem vai para outros países também é indispensável conferir se a carteira de vacinação está em dia. Em Brasília, o Hospital Regional da Asa Norte (HRAN), mantém o ambulatório do viajante. “Lá eles têm controle de quais são as vacinas necessárias de acordo com o país para onde você vai e qual a dose necessária”, explica o coordenador.

Com informações Assessoria de Comunicação

FPM: Segundo decêndio apresenta queda no repasse

As prefeituras recebem na quinta-feira, 20 de setembro, o 2º decêndio do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) que apresenta queda no r...