segunda-feira, 30 de novembro de 2015

SENAR e Sindicato Rural de Potengi realiza curso no sitio Carcará




Teve início ontem (26/11) e vai até o dia 29(sábado), no sitio Carcará, um curso de avicultura, ministrado pelo SENAR em parceria com o SEBRAE e o Sindicato dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares de Potengi.


   O curso está sendo coordenado por Josimar, na ocasião participaram da abertura do curso os diretores do Sindicato Miguel Alexandre e Cristina Cruz, por conta de outros compromissos o Presidente José Nilton só pode comparecer a tarde, o curso conta a participação de 15 moradores do sítio Carcará e haverá uma segunda etapa na próxima semana com mais 15 participantes.


  O SENAR (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural), vem atuando em Potengi em parceria com o SEBRAE e o Sindicato dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras familiares de Potengi, onde já aconteceu um curso sobre gado leiteiro no sítio Quaresma, e assim buscando melhorias de qualidade no meio rural.

Por: Miguel Alexandre.

Seminários para discutir Orçamento sem adesão


Poucos parlamentares foram aos eventos realizados pela AL no Interior para ouvir propostas da sociedade
   
 por Miguel Martins - Repórter
Para Júlio César, apesar da baixa adesão, deputados entenderam os anseios da população ao apresentarem mais de mil emendas ao Orçamento ( FOTO: JOSÉ LEOMAR )


A Assembleia Legislativa cearense promoveu, durante mais de uma semana, quatro seminários para discutir os projetos de Lei Orçamentária Anual (LOA) para 2016 e do Plano Plurianual (PPA) 2016-2019, duas das principais propostas que serão votadas até o fim do ano. Apesar da importância de discutir o tema com a população, poucos foram os parlamentares que se deslocaram até suas bases eleitorais para debater o assunto.
De acordo com alguns deputados entrevistados pelo Diário do Nordeste, há quem prefira a visibilidade das discussões em plenário em detrimento do diálogo direto com a sociedade. Outros deputados afirmaram que, apesar da diminuta participação nas reuniões que debateram temas relevantes para cada uma das macrorregiões do Estado, as mais de mil emendas apresentadas demonstram que há um interesse em se debater o assunto.
Os encontros ocorreram em Sobral, Crato, Quixeramobim e Fortaleza e foram realizados pela Comissão de Orçamento, Finanças e Tributação da Assembleia Legislativa. Dos 46 deputados da Casa, só estiveram presentes às reuniões os deputados Júlio César Filho (PTN), que é presidente do colegiado; Evandro Leitão (PDT), relator das propostas; Walter Cavalcante (PMDB), Augusta Brito (PCdoB), Sérgio Aguiar (PROS), Ivo Gomes (PROS), Manoel Santana (PT), Zé Ailton Brasil (PP), Danniel Oliveira (PMDB), Agenor Neto (PMDB), Leonardo Pinheiro (PSD) e Wagner Sousa (PR).
EmendasO peemedebista Audic Mota realizou audiências com algumas entidades interessadas em discutir as propostas. De acordo com informações da Comissão de Orçamento, até o prazo final para apresentar emendas, 1.200 medidas foram registradas pelos 46 deputados e devem ser analisadas até a próxima quarta-feira, 2 de dezembro. As duas matérias devem ser votadas até o dia 22 de dezembro.
Os seminários sediados no Interior do Estado, conforme Júlio César, contribuíram para que os parlamentares recebessem as demandas da sociedade e para que as pessoas provocassem os deputados, mesmo os que não se fizeram presentes nos encontros regionais. A votação das peças deve ocorrer no dia 15 de dezembro ou até o dia 20 de dezembro, conforme assegurou o líder do Governo, Evandro Leitão, que é relator das matérias. Zé Ailton Brasil, Elmano de Freitas (PT) e Roberto Mesquita (PV) também participarão das relatorias.
Falta de visibilidadePara Evandro Leitão, muitos deputados deixaram de comparecer aos seminários por conta da falta de visibilidade dos encontros. "Eles não vão porque querem sair na mídia. Só isso explica o motivo da ausência da grande maioria dos deputados nos seminários. Foram quatro seminários, e acredito que, no máximo, dez compareceram. Essa é uma matéria muito importante. E aqui no Plenário 13 de Maio, as discussões serão mais acirradas", disse o líder do Governo.
O parlamentar destacou que nas reuniões realizadas, o deputado pode ter um retorno maior por parte da população. "Mas você sabe que tem deputados que valorizam bastante as discussões no plenário, porque terão maior visibilidade", apontou.
Júlio César Filho, ao contrário, ponderou que o objetivo dos seminários era apresentar as propostas à população de cada região acerca da LOA e do PPA. Assim, segundo ele, os interessados poderiam provocar a comissão e seus representantes, os deputados estaduais. "Não vejo obrigação de os deputados irem aos seminários. As mais de mil emendas que foram apresentadas demonstram que o deputado que está no Interior entendeu as demandas da população", afirmou o parlamentar.
Já Moisés Braz (PT) destacou que os assuntos tratados no Plenário 13 de Maio requeriam uma maior participação de parlamentares na sede do Poder Legislativo. Isso, conforme o petista, porque existem problemas em áreas primordiais, como Saúde, Segurança Pública e convivência com a seca. O deputado destacou ainda que projetos polêmicos que tramitavam na Casa dependiam de uma maior atenção por parte de seus colegas.
"O espaço de tempo para a realização dos seminários foi muito curto e aqui temos uma pauta bem recheada, com projetos polêmicos. Acho que, a partir de agora, teremos um grande debate", defendeu.
MilitânciaRenato Roseno (PSOL), que também não participou dos seminários, afirmou que consultou alguns setores da sociedade para apresentar suas emendas e que realizou debates com militantes de movimentos organizados e não com bases regionais.
"Eu espero que os deputados estejam dialogando com suas bases, mas a luta agora não é só de apresentar emendas, mas de aprová-las. Minhas propostas são mais no sentido de tirar recursos de publicidade e cerimonial para outros setores. Eu diria que no momento de escassez, publicidade não é prioridade".
Zé Ailton Brasil destacou que, apesar da pouca participação nos eventos realizados, há interesse de alguns parlamentares em discutir o tema. Ele ressaltou que muitas das 1.200 emendas apresentadas foram discutidas nas quatro reuniões realizadas.
"No Cariri, por exemplo, fizemos emendas que foram demandas do povo de lá, assim como no Sertão Central. Mas é preciso divulgar mais esses seminários junto à sociedade para que elas estejam mais presentes e possam discutir mais esses temas", defendeu. A previsão orçamentária da LOA é de R$ 24,3 bilhões para o próximo ano. O PPA 2016-2019 prevê investimentos de cerca de R$ 101,7 bilhões para o Ceará ao longo dos próximos quatro anos.

Coelce despenca em ranking de satisfação do consumidor


A avaliação da Companhia Energética do Ceará (Coelce) na 16ª Pesquisa de satisfação do consumidor residencial despencou com relação à edição anterior do levantamento. 

O relatório do Índice Aneel de Satisfação do Consumidor (IASC 2015) informa que a redução do escore ‘’satisfação’’ em relação ao ano anterior foi de 18,48 pontos, passando de 70,72 em 2014 para 52,24 em 2015 – variação negativa de 26,13%. 

É a maior queda entre as concessionárias de distribuição de energia do Nordeste. Desde 2008, quando alcançou 56,51 a distribuidora de energia do Ceará não recebia nota tão baixa dos consumidores.

o relatório IASC Coelce 2015, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) avalia que para reverter a piora verificada no índice de ‘’Satisfação’’, os resultados obtidos devem ser usados pela empresa como instrumentos para buscar o aprimoramento dos serviços prestados, considerando a percepção de seus consumidores.

Na Região Nordeste, a Companhia Sul Sergipana de Eletricidade (Sulgipe) ganhou o prêmio IASC pela terceira vez consecutiva. A Coelce não explica por qual motivo a satisfação do consumidor caiu tanto nos últimos dois anos. Em nota enviada ao O POVO, informa que investiu R$ 295,6 milhões entre janeiro e setembro deste ano, um aumento de 52% em relação ao mesmo período de 2014. “Os investimentos foram destinados, principalmente, à conexão de novos clientes e à melhoria da qualidade do serviço”, destaca.

A distribuidora também ressalta que seus índices de desempenho têm sido reconhecidos pelos clientes e pelo mercado ao longo dos últimos anos e que a qualidade do fornecimento de energia continuará sendo prioridade. Lembra que em julho deste ano, a companhia foi eleita, pela quinta vez, a melhor distribuidora de energia do Brasil pela Associação Brasileira das Distribuidoras de Energia Elétrica (Abradee).

Divulgado anualmente pela Aneel desde 2000, o IASC avalia o desempenho prestado por essas empresas em suas áreas de atuação com o objetivo de estimular a melhoria continua nos serviços. Em 2002, a Agência instituiu o Prêmio IASC para destacar as distribuidoras mais eficientes na percepção do consumidor.

As concessionárias e permissionárias vencedoras recebem da Aneel um certificado e um selo de qualidade, que pode ser usado no material de divulgação de cada empresa. Entre os objetivos do IASC, a Agência aponta avaliar, a partir da percepção dos usuários, o grau de satisfação com as distribuidoras de energia elétrica; gerar indicadores comparáveis por região e por porte de empresa; complementar as informações de natureza interna; e comparar os resultados obtidos com os dos anos anteriores utilizando a mesma metodologia.
O POVO

Governador anuncia calendário de promoções da PM e Bombeiros


O governador Camilo Santana anunciou o calendário de promoções dos policiais e bombeiros militares do Estado do Ceará. 

Entre os dias 16 e 23 de dezembro, quase 9 mil profissionais serão beneficiados pela nova lei de promoções, aprovada pela Assembleia Legislativa e sancionada em maio deste ano. 

No total, serão realizadas solenidades em Fortaleza (dias 16 e 17), Sobral (16), Crateús (17), Canindé (21), Itapipoca (21), Juazeiro (22), Iguatu (22), Russas (23) e Quixadá (23). 

Nem Lula e nem Aécio. Datafolha aponta que Marina desponta com cenário de crise


lula aécio e marina
Do ponto de vista eleitoral, o maior beneficiado com a combinação de crise política e econômica não parece ser o PSDB, principal opositor da presidente Dilma Rousseff, mas a hoje reclusa Marina Silva (Rede), ex-­senadora que ficou em terceiro na disputa pela Presidência em 2014. É o que mostra a pesquisa Datafolha nos dias 25 e 26 com 3.541 entrevistas e margem de erro de dois pontos. Na simulação que coloca o senador Aécio Neves como candidato do PSDB, Marina avançou três pontos (de 18% para 21%) e agora aparece tecnicamente empatada com o ex-­presidente Lula (22%) na segunda posição. O tucano lidera com 31%, mas tinha 35% na pesquisa anterior.

Quando o candidato do PSDB é o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, Marina lidera isolada com 28%, seis pontos a mais que Lula (que caiu quatro desde junho) e dez a mais que o tucano (que oscilou dois para baixo).

Um dado que chama a atenção no levantamento é a taxa de rejeição do ex-presidente Lula. Quase metade dos eleitores (47%) dizem que não votariam nele de jeito nenhum. É uma taxa inferior apenas a atribuída a Ulysses Guimarães (1916-­1992) em pesquisas feitas em 1989, quando disputou a Presidência pelo PMDB. Em agosto daquele ano, Ulysses amargou 52% de rejeição, recorde até hoje. Aécio é rejeitado por 24% atualmente; o vice Michel Temer (PMDB), por 22%. Alckmin e Marina, por 17%.

O Datafolha mostra ainda que a imagem de Lula como ex-­presidente perde força com velocidade. Em 2010, ele era visto como o melhor presidente que o Brasil já teve por 71%. Caiu para 56% no fim de 2014; 50% em abril; 39% agora. Apesar disso, segue líder.

Folha

Zé de Amélia e Mira Sampaio devem chegar a Juazeiro até a terça-feira


Zé de Amélia e Mira Sampaio estão presos em Fortaleza.

O vereador e ex-presidente da Câmara Municipal de Juazeiro do Norte, José de Amélia Júnior e a esposa dele, e ex-vereadora Mira Sampaio devem ser transferidos da superintendência da Polícia Federal em Fortaleza para Juazeiro do Norte até a terça-feira, 1º de dezembro. O casal foi preso no sábado passado (28), quando embarcavam uma filha no Aeroporto Pìnto Martins, na Capital, por agentes da Polícia Federal.
De acordo com o delegado-geral da Polícia Civil do Ceará, Andrade Júnior, a Delegacia de Capturas, para onde o casal deveria ter sido conduzido após a prisão, encontra-se em reforma, dessa forma, não oferece a segurança necessária para receber os dois. "Devo ir buscá-los nesta segunda-feira (30), para tratar da transferência para Juazeiro do Norte. Porém, a PF também está disposta a colaborar e fazer a condução do casal para o Cariri", disse o delegado-geral, a esse blog por telefone.
Ainda neste domingo, o blog recebeu a informação de que uma equipe da delegacia da PF de Juazeiro se deslocaria nesta segunda para Fortaleza com o objetivo de trazer o casal para Juazeiro. Como ambos possuem nível superior completo, Zé de Amélia e Mira Sampaio devem ficar recolhidos, no quartel do 2º BPM.
Zé de Amélia e Mira Sampaio estavam com prisão preventiva decretada desde 19 de dezembro do ano passado, acusados de desvio de pelo menos R$ 8 milhões, fraude, estelionato e formação de quadrilha.

Em Sessão tumultuada, Vereador Cilândio volta à Câmara de São Julião


A Câmara Municipal dos Vereadores de São Julião – PI realizou sua penúltima Sessão Ordinária na noite desta sexta-feira, 27. Na pauta da Sessão, a volta dos vereadores Edisaldo e Cilândio à Casa Legislativa.
A Câmara Municipal dos Vereadores de São Julião – PI realizou sua penúltima Sessão Ordinária na noite desta sexta-feira, 27. Na pauta da Sessão, a volta dos vereadores Edisaldo e Cilândio à Casa Legislativa.
Edisaldo (PC do B) que é suplente volta ao cargo novamente após o vereador De Assis (PSD) assumir interinamente por decisão da Justiça o executivo municipal. Cilândio por sua vez, volta à Casa Legislativa, após ser destituído do cargo interino de prefeito.
Durante a Sessão houve uma manifestação pró-Cilândio do lado de fora em frente à Câmara dos Vereadores. Os manifestantes criticavam a decisão da Casa Legislativa que culminou com a posse de De Assis e pedia de volta o cargo interino de prefeito ao vereador Cilândio.
Com gritos de guerra e muito barulho os manifestantes permaneceram até o final da Sessão. “Câmara da Vergonha”, dizia um dos cartazes segurados pelo ex-secretário de finanças e irmão do vereador Cilândio, Evandro Carvalho.
Apesar de alguns xingamentos a manifestação foi pacifica. Durante toda a Sessão o efetivo policial comandado pelo Cabo Xavier foi reforçado.
Do lado de dentro os vereadores Cilândio e Edisaldo voltaram aos trabalhos legislativos.
Em seu discurso, o vereador Cilândio criticou duramente os demais vereadores e disse que ele é que merecia continuar sendo o prefeito interino. “Uma vergonha” se referiu o vereador que neste momento era aclamado pelos manifestantes e chamado de “prefeito”.
Para o presidente interino Leureny Sobrinho a manifestação enquanto pacifica é bem vinda. O presidente destacou que foi a justiça que colocara ele de presidente e De Assis de prefeito interino e caso esta decida pela saída dos mesmos, esta será acatada.
O atual prefeito interino De Assis não esteve presente a Sessão e após ficar sabendo da manifestação disse que a mesma é valida e faz parte da democracia.
“Deve ser respeitada as manifestações, assim como deve também sere respeitada a decisão da justiça”, declarou.
A ultima Sessão Ordinária de 2015 do legislativo saojuliãoense será realizada dia 11 de dezembro.
Veja imagens:
DSC_0103DSC_0101DSC_0099DSC_0095DSC_0094DSC_0090DSC_0091DSC_0092DSC_0096DSC_0097

Arinaldo Leal declara que não concorrerá a reeleição em Vila Nova


A principal razão, segundo ele, são as dificuldades de gestão ocasionadas pela falta de melhores repasses do Fundo de Participação dos Municípios, FPM.
O presidente da Associação Piauiense dos Municípios e prefeito de Vila Nova do Piauí, Arinaldo Leal (PSB), disse que não concorrerá à reeleição em 2016. A principal razão, segundo ele, são as dificuldades de gestão ocasionadas pela falta de melhores repasses do Fundo de Participação dos Municípios, FPM.
arinaldo-leal-entrevista-620x330
Arinaldo diz que não concorrerá reeleição em Vila Nova – Foto: Reprodução
Eu mesmo sou um dos muitos prefeitos que estão renunciando desse direito à reeleição. Nós fizemos uma pesquisa em Vila Nova do Piauí e temos 90% de aprovação, temos mais de 83% de preferência de voto e estou pensando seriamente em não ser candidato. A situação hoje é complicada e você tem que diminuir seu padrão administrativo. Nós já vínhamos há 15 anos sendo referência de administração e de repente você não ter aquele projeto que você construiu para sua administração, e complicado”, destacou Arinaldo Leal.
Sobre os repasses do FPM, ele lembrou que em 2015 vai ser menor do que em 2016, o que comprometerá mais ainda a administração das cidades. “Se em 2015, com uma inflação média de 16% ao ano, a situação já está ruim, imagine a nossa situação no próximo ano. Nós temos para julho do próximo ano um repasse extra de 1%, mas a situação, a médio prazo é muito delicada. Muitos colegas prefeitos que tem direito a reeleição já estão renunciando desse direito”, complementou o presidente.
De acordo com Arinaldo, o FUNDEB hoje em grande parte dos municípios não paga nem o magistério. “A gente tinha a obrigação de gastar 60%. Hoje, a gente gasta todo o dinheiro do FUNDEB e não paga. Hoje também a gente recebe R$ 10 mil para uma equipe do Programa de Saúde da Família, por exemplo, e paga em média R$ 17 mil reais. Isso mostra que realmente não tem como você manter tudo funcionando devidamente”, esclareceu.
Dados da Confederação dos Municípios apontam que no acumulado de 2015, o Fundo soma R$ 73,79 bilhões. No mesmo período do ano anterior, o repasse ficou em R$ 76,43 bilhões. Não foram adicionados nesses cálculos os repasses extras de janeiro de 2014 e 2015, nem os repasses extras de maio e outubro de 2015, conforme a equipe de estudos técnicos da CNM.
A tendência é que o FPM sofra ainda mais queda em 2016 depois de realizados os cálculos para a composição dos repasses, que considera as alterações na quantidade populacional, para chegar em um coeficiente de distribuição.
Fonte: Cidade Verde

Fundação aponta que umbu entrou na lista de alimentos ameaçados de extinção


De acordo com a fundação Slow Food, as secas prolongadas e a criação de bodes são os dois fatores que mais contribuem para o cenário.
foto5
Secas prolongadas são um dos principais motivos para o risco de extinção do umbu
Conhecida dos nordestinos, o umbu entrou na lista de alimentos ameaçados de extinção. De acordo com a fundação Slow Food, as secas prolongadas e a criação de bodes são os dois fatores que mais contribuem para o cenário. Durante a colheita de umbu, normalmente os agricultores optam por pegar as frutas ainda bem verdes, porque estragam com facilidade. Já os mais maduros, viram alimento de bode, que chegam a comer 150 unidades por dia. O problema é que os animais acabam se alimentando dos frutos livremente, sem que os donos ‘autorizem’, muitas vezes acabando com a plantação do mês inteiro, o que enfraquece as vendas e faz com que haja cada vez menos umbus.
De acordo com a National Geographic Brasil, a cidade de Uauá, localizada no norte baiano, é uma das maiores produtores de umbu do país. O problema é que não chove há quase cinco anos no local, o que faz com que toda a plantação seque. Para tentar driblar o problema, agricultores do local usam a água das batatas que crescem nas raízes do umbuzeiro para manter as árvores sempre irrigadas. Em período de seca, quando chove muito pouco, os cultivadores conseguem colher cerca de 300 umbus por mês. As informações foram extraídas do jornal Correio.
Fonte: Jornal da Chapada

Vem aí no dia 05 de dezembro Fronteiras IIº Moda Fashion 2015


No dia 05 de dezembro a partir das 21h no Clube Recreativo Fronteirense, Fronteiras será palco do IIº Fronteiras Moda Fashion. O evento de moda mais badalado da região neste ano contará com a participação de várias Lojas Fronteirenses e da Lu Modas e Izânio Calçados da cidade de Pio IX.
E na passarela os mais belos modelos fronteirenses vestindo as melhores marcas e looks do momento. Após os desfiles grande festa com a Danceteria Ponto.Com e DJ Cleilson.
Organização: Adão Silva e Susy Bezerra.

Campanha Laço branco - Homens pelo fim da Violência contra a Mulher


A Campanha Brasileira do Laço Branco tem como objetivo sensibilizar, envolver e mobilizar os homens no engajamento pelo fim da violência contra a mulher. Suas atividades são desenvolvidas em consonância com as ações dos movimentos organizados de mulheres e de outras representações sociais que buscam promover a equidade de gênero, através de ações em saúde, educação, trabalho, ação social, justiça, segurança pública e direitos humanos.

O que muda na migração do AM para o FM


A presidente da ACERT-Associação Cearense de Emissoras de Rádio e Televisão, Carmen Lúcia, dá entrevista hoje a O Povo, ocasião em que fala sobre a migração das emissoras de rádio AM para a faixa AM.

Ela considera que isso deve melhorar a qualidade do sinal de transmissão das emissoras de rádio, ao mesmo tempo em que adverte não ser apenas uma simples mudança. O empresariado precisa ter em conta que necessidade de alterações na parte técnica das emissoras. "Elas vão ter que fazer uma nova rádio, do zero. Você vai ter que comprar uma mesa de boa qualidade de som, uma nova antena, uma nova torre, um transmissor novo... É uma nova rádio, é um investimento em um novo produto". 

O Governo Federal divulgou, na última terça-feira, 24, os critérios de migração das emissoras de rádio AM para a faixa FM em todo o País. Nesse mesmo dia foi entregue aos empresários do ramo uma tabela com os valores que cada emissora em cada Estado e cidade deverá arcar para transmitir na nova frequência. O anúncio dos valores, que estava sendo aguardado há dois anos, inicia, a partir de agora, um movimento concreto das emissoras de rádio a operarem em nova frequência.
O estudo apresentado em forma de tabela com os valores era uma das barreiras que os empresários encontravam para usufruir do decreto assinado pela presidente Dilma Rousseff (PT) em 2013. O POVO entrevistou a responsável pela coordenação da rádio Tempo FM e presidente da Associação Cearense Emissoras Rádio e Televisão (Acert), Carmen Lúcia Dummar, que discutiu esse novo momento do rádio no Brasil.

Confira os principais trechos da entrevista:


O POVO – Qual o principal atrativo dessa mudança de frequência das rádios AM?
Carmen Lúcia Dummar – É um pleito do empresariado já antigo. Nas grandes cidades o sinal da rádio AM sofre muita interferência. Essa mudança já está sendo feita em outros países, mas não dessa forma como no Brasil, em bloco. A migração deve melhorar a qualidade do sinal de transmissão das emissoras de rádio. Quando a gente está pleiteando uma demanda assim, tem que ver o usuário final, que é o ouvinte. Quem faz rádio, no fim das contas, está pensando acima de tudo no ouvinte. É preciso atender ao interesse dele, prestar o melhor serviço que puder para conquistar aquela audiência. o objetivo final disso é prestar o melhor serviço possível. O espaço da frequência FM em Fortaleza está completamente lotado. É preciso ocupar uma faixa estendida que ainda não está nos aparelhos de rádios vendidos atualmente. Serão precisos novos aparelhos comuns. No entanto, no celular ou automóveis basta a atualização de um software para alcançar a frequência estendida. A extensão na Capital só deverá ficar pronta em 2017. 

OP: Qual o prazo para iniciar as migrações?
Carmen: Agora que tem o preço, as empresas têm que apresentar a documentação ao Ministério das Comunicações. Depois a pasta emite o boleto e o empresário tem até 90 dias para pagar. Na sequência, já estarão autorizados a entrar. Nas cidades que têm espaço na frequência FM pode entrar de imediato.
OP: Esse processo pode acabar com a frequência AM?
Carmen: Não acredito que acabe porque existem diferença entre os sinais. Se o AM encontra uma barreira pela frente, como montanhas no interior, por exemplo, ele não interrompe a transmissão. Já o FM perde quando encontra barreiras pelo caminho. Algumas emissoras de rádio AM priorizam ir mais longe ao invés da qualidade do sinal. Se você tem uma emissora que atinge vários municípios, e há uma barreira, ela vai ter que optar entre qualidade ou alcance. Mas é preciso pensar no futuro. 

OP: Tecnicamente, o que as rádios precisam fazer nesse processo de adaptação? 
Carmen: Elas vão ter que fazer uma nova rádio, do zero. Você vai ter que comprar uma mesa de boa qualidade de som, uma nova antena, uma nova torre, um transmissor novo... É uma nova rádio, é um investimento em um novo produto. Todos os empresários estão cientes disso. Se quer fazer um negócio tem que estar ciente do que vai fazer e investir. Nós, da Acert, fizemos um convênio com o Banco do Nordeste (BNB) e já temos uma linha para o financiamento desses equipamentos com juros de 7% ao ano. O dono de rádio que definir que vai mudar, ele pode procurar o BNB para obter uma linha específica negociada com a Associação. Nós fizemos essa negociação tanto para a migração quanto para a modernização. Quem tiver sua rádio FM e quiser se modernizar também pode contratar o crédito. É um investimento significativo e o rádio está preparado para isso, os empresários estão acreditando que vai ser o melhor investimento e acho que foi uma inovação brasileira.
OP: Como se deu a negociação do valor do pagamento das emissoras para a migração?
Carmen: Isso foi muito discutido. Faz dois anos que a gente estava aguardando e ninguém conseguia chegar a um preço. Quanto custa AM e FM? Qual a diferença de preço? Ninguém conseguia uma base. Chegou-se a um valor absurdo que ninguém migrava. Você tinha que chegar a um preço que somado à compra de equipamentos fosse viável para o empresário de radiofusão. Finalmente um trabalho liderado pelo ministro André Figueiredo (PDT) juntamente com o presidente da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), Daniel Slaviero, chegou-se a uma boa conclusão porque analisaram as diferenças regionais e apresentou-se os valores justos. Nós temos que reconhecer o empenho do ministro André Figueiredo e a batalha do Daniel Slaviero nesse processo. Quando entrou, o ministro prometeu até novembro apresentar o preço da migração. Preço esse que foi justo. Porque você não pode ter em São Paulo (o maior PIB do País) uma rádio com preço semelhante a uma do interior do Amazonas ou do Ceará. O Brasil é muito diferente. É preciso mapear toda essa diferença. O setor ficou exultante porque o ministério chegou a um resultado que o dono de rádio vai poder colocar o negócio para frente.

OP: O que essa migração vai mudar no cotidiano de quem ouve rádio no Brasil?
Carmen: Algumas emissoras que estão transmitindo AM, e que tem dificuldade, vão melhorar a qualidade de som. É mais beneficio para o ouvinte. Nessa nova frequência, é possível atingir mais segmentos. E quantos mais segmentos você atingir, mais público vai alcançar.
OP: Em pleno ano de 2015 e o rádio se reinventando...
Carmen: Não para nunca. Não vai parar nunca, eu não acredito nessa história que um veículo ou outro vai acabar, isso é muito antigo. O consumidor de informação ou entretenimento de rádio ou televisão tem uma característica: ele quer facilidade. Ele quer simplicidade. Então, se existe uma rádio que faz a programação certa para você, com a música que você gosta, com toda a sua variedade, por que ele (ouvinte) vai ter o trabalho de fazer seleção musical para ficar ouvindo? Isso cansa, enjoa. No rádio, esse serviço todo dia é feito por uma pessoa especializada, que conhece música e que sabe para quem está trabalhando, se é para um ouvinte jovem ou ouvinte adulto. Enquanto a gente tiver um bom conteúdo é o que importa.

OP: Qual a perspectiva da rádio no Brasil após a mudança?
Carmen: O rádio vai continuar, cada vez melhor, sendo a voz da população. A gente ajuda a desenvolver o Estado. O papel do rádio também é dar acesso a informação à população, zelando sempre pela liberdade de expressão porque é fundamental para uma democracia.

Prazo para pagar 1ª parcela do 13º termina nesta segunda-feira


Termina nesta segunda-feira (30) o prazo para que as empresas paguem aos seus funcionários o adiantamento da primeira parcela do 13º salário. A segunda parcela, por sua vez, precisa ser depositada na conta dos trabalhadores até o dia 18 de dezembro, prevê a legislação. 

Aqueles que pediram o adiantamento do 13º nas férias, contudo, não recebem a primeira parcela agora (pois já receberam), apenas a segunda. A primeira parte representa metade do salário que o funcionário ganha. A primeira parcela tem como base a última remuneração do empregado. Já a segunda usa como referência o mês de dezembro. 

Em caso de empregados que recebem salários variáveis, por meio de comissões ou percentagens, o 13º deve perfazer a média anual de salários. Cabe ao empregador a decisão de pagar em uma ou duas parcelas. 

No caso de ser apenas em uma única vez, o pagamento deve ter sido feito até esta segunda

Milhares de pessoas prestigiam 9ª edição da Campanha Ceará sem Drogas


    Milhares de pessoas prestigiam 9ª edição da Campanha Ceará sem Drogas
Foto: Júnior Pio
Milhares de estudantes e moradores de Campos Sales e cidades vizinhas da região do Cariri acompanharam a 9ª edição da campanha Ceará Sem Drogas, com palestra do comentarista esportivo Walter Casagrande. O evento foi realizado na manhã desta sexta-feira (27/11), na Escola Estadual de Educação Profissionalizante (EEEP) Presidente Médici.
O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Zezinho Albuquerque (Pros), idealizador do projeto, lembrou que a campanha está percorrendo todo o estado do Ceará. “Essa mobilização é para que vocês jovens não tenham a curiosidade de ser dependente químico. A porta de entrada é muito grande, mas a de saída é muito pequena”, alertou.
Zezinho Albuquerque também elogiou o comentarista Walter Casagrande ao afirmar que ele é um grande parceiro do projeto. O deputado ressaltou, ainda, a necessidade de conscientizar as famílias sobre as drogas, para que os dependentes químicos sejam tratados como pessoas que precisam de ajuda.
Na palestra conduzida pelo jornalista Fábio Pizzato, Casagrande falou sobre a carreira no futebol e da experiência dele com as drogas. Segundo ele, a primeira vivência foi aos 14 ou 15 anos, quando experimentou a maconha. “Você sempre acha que dá conta. 'Ah, largo quando quiser'. Mas a coisa não é bem assim”, comentou.
No caso dele, foi preciso um ano de tratamento, após internação involuntária. Além disso, ficou cerca de seis meses afastado do convívio com a família. “Dependência química é difícil de tratar, depende da vontade do paciente e do apoio da família”, explicou. A experiência também é contada no livro “Casagrande e seus demônios”.
O prefeito de Campos Sales, Moésio Loiola (PSD), afirmou que a presença da campanha no município “é uma espécie de sangue novo”. Ele ressaltou que a cidade, por estar presente numa região fronteiriça, enfrenta muitos problemas relacionados à criminalidade. No evento, o prefeito também deu posse ao Conselho Antidrogas da Cidade.
O servente Paulo Henrique da Silva, 41 anos, levou o filho Luiz Henrique Pereira, 9, e o colega dele, Artur de Lima, 4, para acompanhar a palestra. Os três estavam ansiosos pela chegada de Casagrande. Para Paulo Henrique, o debate sobre as drogas é muito importante. “A droga está afetando muito a juventude do município”, comentou.
Já a professora de biologia da EEEP Presidente Médici, Verônica Costa, explicou que sempre são realizados debates sobre drogas com os alunos. “É importante para sensibilizar e conscientizar sobre as drogas”, disse. Na avaliação dela, a campanha Ceará sem Drogas veio em boa hora, pois esse é um problema que tem crescido na cidade.
Alunos da Escola João XXIII prepararam cartazes e faixa alertando para os riscos no uso de drogas. “A ideia surgiu em sala de aula. Sempre tem esse debate na escola. Neste ano, a gente discutiu o assunto em três disciplinas”, contou a estudante Maíza Pereira, 13.
O evento contou ainda com apresentações artísticas da Banda de Música Municipal Lauro Honorato e da Orquestra Flautista Guarani, além de distribuição de material informativo da campanha Ceará sem Drogas.
Também estiveram presentes o comandante da Polícia Militar do Ceará (PMCE), coronel Giovani Pinheiro; o presidente da Câmara Municipal de Campos Sales, vereador João Luiz; o pároco da Igreja Matriz do Município, padre Cícero José da Silva, e o prefeito de Nova Olinda, Ronaldo Sampaio.
GS/JU

Mais notícias de Cidade: Campi do IFCE abrem 560 vagas em cursos


   
Estão abertas até o próximo dia 4 de dezembro inscrições para 560 vagas em processos seletivos de cursos técnicos referentes ao semestre 2016.1 nos campi das cidade do Crato, Iguatu, Guaramiranga e Itapipoca do Instituto Federal do Ceará (IFCE). Os interessados podem consultar informações no site da instituição http://qselecao.Ifce.edu.br.
BicicletasCiclofaixa completa 60ª edição domingoA Ciclofaixa de Lazer chega à sua 60ª edição deste domingo (29) e mantém, de 7h às 13h, o mesmo percurso do último domingo, fazendo a ligação do início da ciclovia da Avenida Washington Soares ao Passeio Público, passando pelo Parque do Cocó. No Passeio Público, haverá distribuição de mudas de plantas nativas e ornamentais, como ipê, mungubeira e pau branco.

sábado, 28 de novembro de 2015

Projeto da Assembléia Legislativa do Ceará em Campos Sales

Projeto da Assembléia Legislativa do Ceará em Campos Sales, na Escola Presidente Médici, atraiu grande numero de jovens para acompanhar a palestra do ex-jogador e hoje comentarista, Walter Casa Grande..com o tema: Ceará sem Drogas, iniciativa do Presidente da Casa Legislativa, deputado, Zezinho Albuquerque, tem visitado vários municípios do interior, chamando a atenção  importante da juventude para a questão das drogas que maltrata a sociedade brasileira...Casa Grande desperta a curiosidade da juventude em razão de ter sido usuário e estar ainda num processo de limpeza...seu carisma e simplicidade tem sido a tônica do evento que mantém acesa a chama da sociedade de ver esse problema social ser encarado de frente pelas autoridades, com a colaboração de todos...
















Juiz do DF suspende aumento de imposto sobre combustíveis no país

O juiz substituto Renato Borelli, da 20ª Vara Federal do DF, suspendeu nesta terça-feira (25) o aumento de tributos sobre os combustíveis an...