quarta-feira, 18 de novembro de 2015

CEARÁ: Agricultores cobram medidas emergenciais


Reservatórios estão secando e cidades do Cariri correm risco de desabastecimento (Foto: Reprodução/Jornal do Cariri)
Plantações perdidas, açudes secos e agricultores aflitos. O triste cenário está presente na zona rural de muitos municípios do Estado. Desoladora para quem ver, a situação é ainda mais angustiante para quem sofre e espera a ajuda do poder público. Enquanto a chuva não cai do céu, os agricultores acreditam que a situação seria amenizada caso o Garantia-Safra, ação do Programa Nacional de Fortalecimento à Agricultura Familiar (Pronaf), já tivesse sido liberado. O valor do seguro é de R$ 850,00, divididos em cinco parcelas de R$ 170,00.

No Sítio Taquari, segundo o agricultor Ribamar Xavier, os produtores estão aflitos. “Tem gente com as mãos na cabeça, pois, se não voltar a chover até meados de dezembro, vai secar tudo. Não restará água para plantações e animais”, prevê o agricultor. Na localidade, toda a lavoura foi perdida. Para Ribamar, o Garantia-safra amenizaria a situação, pois serviria para a comprar alimentos. “Já está quase chegando o boleto deste ano e não sai o do ano passado”, reclama o produtor rural.

Em Caririaçu, as perdas nas lavouras foram de mais de 60%. A Ematerce, Câmara de Vereadores, Prefeitura e Sindicatos Rurais se reuniram para debater uma solução. Como explica o gerente regional da Ematerce, Sérgio Linhares, a situação depende de Brasília. “Aguardamos a liberação do pagamento da parcela pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário”.

Decreto que ajuda

Apenas cinco municípios do Cariri - Altaneira, Barbalha, Crato, Granjeiro e Juazeiro do Norte - estão fora da lista de emergência, de acordo com a Defesa Civil do Estado. Mas, mesmo não decretando Situação de Emergência, a estiagem na zona rural destes cinco municípios não difere das 150 municipalidades cearenses que declararam emergência até o fechamento desta edição.

O reconhecimento, por parte da União, é o pré-requisito para a liberação de recursos federais, bem como a garantia de celeridade em ações emergenciais nas cidades. A portaria do Governo Federal, assinada no início do mês, tem validade de 180 dias.

Dentre as ações que devem ser realizadas nos próximos meses, estão a Operação Carro-Pipa, a instalação de poços, o pagamento do Bolsa Estiagem e a montagem de adutoras. A União destinou o aporte de R$ 21 milhões para serem usados na Operação Carro-Pipa no Ceará. Pouco mais de R$ 8 milhões foram liberados.

Fonte: Jornal do Cariri

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Matos defende piso de R$ 1,6 mil para agentes de saúde

A Comissão Especial sobre Remuneração dos Agentes Comunitários de Saúde (PEC 22/11) terá reunião, hoje (16), para discutir e votar o relatór...