terça-feira, 17 de novembro de 2015

Novembro Azul: câncer de próstata mata mais que o de mama no Ceará


O número de homens que morrem de câncer de próstata, no Ceará, é superior ao de mulheres que falecem de câncer de mama, no Estado. A informação é do urologista Lúcio Flávio Gonzaga Silva, do Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC).
Durante este mês, ele e os demais urologistas do HUWC reforçarão orientações aos pacientes sobre a importância da prevenção para os casos de câncer de próstata e outras doenças comuns à população masculina, na campanha "Novembro Azul".
O HUWC é uma das unidades do Complexo Hospitalar da UFC, sendo pertencente à rede de hospitais da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). A informação do Dr. Lúcio Flávio é comprovada pelos dados da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), que apontam que o câncer de próstata matou, em 2013, 622 homens, contra 529 vítimas de câncer de mama feminino.
O índice de mortalidade de câncer de próstata em idosos (60 anos ou mais) foi, naquele ano de 95,3%, ou seja, apenas 4,7% dos idosos que possuíam a doença tiveram sobrevida. Este é o maior índice de mortalidade entre todas as doenças, seguido do de estômago (75,5%), pulmões (73,1%), colo de útero (49,2%) e mama feminina (47,6%).
Em 2014, ainda segundo a Sesa, foram estimados 10.480 novos casos de câncer para o sexo feminino, sendo 2.060 de mama. Entre os homens, estimaram-se 9.600 novos casos de tumores, com 2.350 deles de próstata. Ao analisar as taxas de mortalidade por neoplasia maligna de 2009 até 2013, observa-se um crescimento cada vez mais preocupante. Ainda mais quando pesquisas ratificam a negligência do homem com a própria saúde.

Imagem: No Brasil, o "Novembro Azul" foi criado pelo Instituto Lado a Lado pela Vida (Foto: Marcelo Camargo/ABr)
NEGLIGÊNCIA COM A SAÚDE – Levantamento feito pela Coalizão Internacional para o Câncer de Próstata (IPCC, na sigla em inglês) aponta que 47% dos homens com a doença em estágio avançado desconhecem e não dão importância aos sintomas. "Ou seja, não comunicam aos médicos e perdem tempo para iniciar o tratamento e aumentar as chances de cura", avalia Leocácio Barroso, chefe do Ambulatório de Andrologia e Pré-transplante Renal e preceptor da Residência Médica de Urologia do Hospital Universitário Walter Cantídio/Ebserh. O levantamento foi realizado com 900 pacientes e 360 cuidadores de 10 países (Alemanha, Reino Unido, França, Espanha, Itália, Holanda, Estados Unidos, Japão, Cingapura e Taiwan).
Pesquisa realizada pelo Datafolha com 1.061 homens com idades entre 40 e 70 anos, de 10 capitais brasileiras, incluindo Fortaleza, constatou que o preconceito com o exame de toque retal ainda é forte no Brasil. Apenas 32% dos homens brasileiros declararam já ter feito o exame. "A detecção precoce é fundamental para o tratamento, visto que, nessa fase, 90% dos casos são curáveis", estima Dr. Leocácio.
MUDANÇAS NO EXAME DE TOQUE RETAL – Na fase inicial do câncer de próstata, não há sintomas, por isso a ida anual ao urologista é essencial para o acompanhamento da glândula. A Sociedade Brasileira de Urologia, inclusive, inicia uma nova recomendação, baseada nos trabalhos científicos publicados nos últimos anos: o exame de toque retal deve ser feito a partir dos 50 anos para homens sem casos na família e, aos 45 anos, para homens com casos na família e para negros.
MOVIMENTO – Campanha de conscientização realizada por diversas entidades no mês de novembro, a "Novembro Azul" é dirigida à sociedade e aos homens sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de próstata e de outras doenças comuns à população masculina. O movimento surgiu na Austrália, em 2003, aproveitando as comemorações do Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, dia 17 de novembro.
No Brasil, o "Novembro Azul" foi criado pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, com o objetivo de quebrar o preconceito masculino de ir ao médico e, quando necessário, fazer o exame de toque.
O Dr. Lúcio Flávio, que também é chefe da Disciplina de Urologia da UFC, além do câncer de próstata (objetivo maior da campanha deste mês de novembro) e que pode ser curado quando diagnosticado no seu início, lembra outras duas neoplasias malignas urológicas que podem ser absolutamente preveníveis: o câncer de pênis, ainda presente e que pode ser evitado com medidas simples de higiene, como um bom banho diário; e o câncer de bexiga, que tem como medida preventiva o ato de parar de fumar.
O Ambulatório de Urologia do Hospital Universitário Walter cantídio oferece a pacientes do hospital orientações sobre prevenção e tratamento do câncer de próstata e outras doenças comuns entre os homens. Informações pelo telefone 85 3366 8373.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Família Aguiar Martins em Jantar de parabéns ao Deputado Agenor Ribeiro

No último final de semana, a família Aguiar Martins, participou de um almoço comemorativo, como Deputado Estadual, que representa o Cari...