sexta-feira, 17 de março de 2017

Desembargador cearense e filho são acusados de vender sentenças da Justiça pelo Whatsapp


A Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça aceitou a denúncia da Procuradoria-Geral da República e abriu, nesta quinta-feira (16), ação penal contra o desembargador cearense Carlos Rodrigues Feitosa e o seu filho, o advogado Fernando Feitosa. Eles são acusados de vender sentenças do Tribunal de Justiça do Ceará pelo Whatsapp.

Segundo STJ, Fernando “organizou e liderou o ajuste para recebimento das vantagens indevidas pelo comércio de pelo menos cinco sentenças, com a atuação de seu pai".

Trecho da acusação revela que “parte da atividade era organizada por meio de um grupo de WhatsApp e as cobranças, segundo investigações, variava de R$ 70 mil a R$ 500 mil”.

Além de Carlos e Fernando, mais 8 pessoas são acusadas de participar do esquema.

Ceará News 7

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aposentado já pode consultar 1ª parcela do 13º salário O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) começou a liberar nesta sext...