terça-feira, 3 de novembro de 2015

Deputados faltaram a votações importantes



Mesmo com clima acirrado em Brasília, alguns parlamentares deixaram de ir a votações na Câmara
   
 
De 37 sessões contabilizadas de agosto a outubro, parlamentares do Estado chegaram a faltar a votações importantes, alguns com justificativa de licença médica e missão especial e outros sem qualquer explicação ( Agência Câmara )
No clima de crise política nacional, agravada neste segundo semestre, nem todos os deputados federais do Ceará têm conseguido acompanhar a dinâmica das votações em Brasília. De 37 sessões contabilizadas de agosto a outubro, parlamentares do Estado chegaram a faltar a votações importantes, alguns com justificativa de licença médica e missão especial e outros sem qualquer explicação. O levantamento refere-se ao período de 4 de agosto a 15 de outubro.
O balanço considera os 20 deputados federais cearenses que exerceram integralmente o mandato durante este ano. O deputado federal Arnon Bezerra (PTB) esteve ausente em sete sessões deliberativas da Câmara, incluindo a primeira votação após o recesso parlamentar, no dia 4 de agosto. No dia 12 do mesmo mês, ele faltou a duas votações na Casa, uma que trata da polêmica lei para combater o terrorismo no País e outra referente à reforma política.
Já o deputado Adail Carneiro (PHS) faltou apenas a duas sessões com votação na Casa, sob a justificativa de licença para tratamento de saúde. O deputado Aníbal Gomes (PMDB) teve sete faltas em votações da Câmara Federal nos últimos três meses, todas com alegação de tratamento médico. Em uma dessas ausências, o peemedebista deixou de votar, em segundo turno, a polêmica PEC que reduz a maioridade penal para 16 anos em crimes considerados hediondos.
O deputado novato Cabo Sabino (PR) apresentou duas faltas justificadas para tratamento de saúde neste segundo semestre. Por conta da ausência, ele perdeu a votação, em segundo turno, da PEC 172/2012, que proíbe qualquer lei federal a impor atribuições aos estados e municípios sem indicar a fonte de financiamento. O deputado Chico Lopes (PCdoB) faltou a quatro sessões no semestre, sempre justificando tratamento de saúde.
Missão especialO deputado Danilo Forte (PSB) teve seis ausências nos últimos meses, mas só apresentou justificativa em três delas, alegando ter se afastado por problemas de saúde. O líder do PROS na Câmara dos Deputados, Domingos Neto, só teve três faltas na Casa no último semestre. Em todas, o parlamentar alegou estar em missão especial, mas sem dar detalhes das atividades.
O deputado Genecias Noronha (SD) faltou a quatro sessões deliberativas da Câmara Federal desde agosto, mas não justificou nenhuma das ausências. Ele deixou de votar o segundo turno da PEC 172/2012. Gorete Pereira (PR) não esteve presente em seis sessões da Câmara durante o semestre e, em todas as ausências, justificou tratamento de saúde. No mesmo período, José Airton Cirilo (PT) ausentou-se em duas sessões sem apresentar justificativa e faltou duas outras alegando problema de saúde.
Já o líder do governo na Casa, José Guimarães (PT), marcou presença em todas as sessões de agosto a outubro. O petista tem enfrentado saias justas para salvar os interesses do Executivo federal no Congresso Nacional.
Leônidas Cristino (PROS) faltou duas vezes a sessões deliberativas da Câmara, mas ele não apresentou nenhuma justificativa. Luizianne Lins (PT) se ausentou de cinco votações, três delas sob a alegação de tratamento de saúde, mas faltou a primeira votação do semestre, em 4 de agosto, sem justificativa.
O deputado Macedo (PSL) apresenta quatro faltas em votações da Câmara, todas sem justificativa. Ele deixou de votar, em primeiro turno, a PEC dos Cartórios, que regulariza a situação de pessoas que estão no comando de cartórios sem ter prestado concurso público.
AfastamentoMoroni Torgan (DEM) faltou a seis votações na Câmara Federal no segundo semestre deste ano, três com o argumento de afastamento por questões de saúde. Nas demais ausências, ele aponta "missão autorizada".
Moses Rodrigues (PPS) não marcou presença em cinco votações desde agosto nem justificou nenhuma das faltas à Casa. O parlamentar não votou, em segundo turno, a PEC 172.
O deputado Odorico Monteiro (PT) contabiliza cinco ausências em votações, sempre com a justificativa de afastamento para tratamento de saúde, incluindo as duas primeiras votações deste semestre. Já Raimundo Gomes de Matos (PSDB) e Ronaldo Martins (PRB) não se ausentaram de nenhuma votação na Casa no período considerado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Realizada em Campos Sales e Salitre, IV SEMANA DA MATEMÁTICA DA URCA

De 12 a 14 de dezembro, a unidade da URCA de Campos Sales, realizou a IV SEMANA DA MATEMÁTICA DA URCA, com o tema: A MATEMÁTIC...