sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Atrasos afetam 40 mil unidades no Ceará

Atrasos afetam 40 mil unidades no Ceará


Da esquerda para direita, Alexandre Accioly, Clausens Duarte, André Montenegro (presidente do Sinduscon) e Jorge Duarte
Da esquerda para direita, Alexandre Accioly, Clausens Duarte, André Montenegro (presidente do Sinduscon) e Jorge Duarte
Os atrasos nos pagamentos do Governo Federal às construtoras referentes ao programa Minha Casa Minha Vida (MCMV) atingem cerca de 40 mil unidades residenciais no Ceará. Os imóveis, que ainda estão em construção, são referentes à Faixa 1 do programa, destinada a famílias com renda mensal de até R$ 1.600.
Segundo o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado Ceará (Sinduscon-CE), André Montenegro, se a situação não for resolvida o número pode aumentar, pois algumas empresas não têm como permanecer no programa.

O valor devido apenas às construtoras associadas ao Sinduscon-CE corresponde a cerca de R$ 80 milhões. E, se consideradas todas as construtoras que participam do programa no Estado, o valor devido pelo Governo Federal chega a R$ 160 milhões, estima o Sindicato.

Demissões
Apenas neste ano, mais de cinco mil trabalhadores da construção civil foram demitidos. “O governo nos prometeu que faria o pagamento dos atrasados até o dia 15 de agosto. Nós contratamos mais gente, retomamos o ritmo das obras, mas a promessa não foi cumprida”, disse Montenegro, ontem, durante coletiva à imprensa.
Segundo ele, também havia a promessa de que no dia 1º de agosto, seria estabelecida uma nova regra para os pagamentos, o que também não ocorreu.

Endividadas e sem perspectiva para receber os pagamentos, as empesas estão com dificuldades para comprar material de construção e, muitas, não têm conseguido cumprir os prazos para a entrega dos imóveis. “O Governo Federal ainda lhe cobra porque você atrasou a entrega da obra, e não aceita como justificativa o atraso de pagamento.”
NÚMEROS
160
milhões de reais é o valor devido pelo Governo Federal às construtoras
5
mil trabalhadores foram demitidos pelas construtoras somente em 2015
Saiba mais

Municípios
Atrasos afetam obras que estão sendo realizadas nos municípios Fortaleza, Maracanaú, Caucaia, Trairi, Sobral, Quixadá, Quixeramobim, Crateús, Crato, Barbalha e Juazeiro do Norte
Demora
Os repasses eram inicialmente realizados de dois a cinco dias apósa entrega dos imóveis. Hoje superam os 60 dias.

Promessa
Segundo o Sinduscon-CE o Governo havia prometido atualizar dívida no último dia 15 de agosto, o que não aconteceu.
O Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Câmara de Vereadores Homenageia Radio Cidade AM de Campos Sales pelo seu aniversario

COMUNICADO CONEXÃO: estivemos na sessão desta sexta-feira feira, 18 de agosto, da Câmara de vereadores. Fomos falar sobre os 32 anos da rádi...