quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Segundo Globo, família cearense comanda mercado de terceirização de presídios


Além de presidente da Federação do Comércio do Ceará (Fecomércio-CE), Luiz Gastão Bittencourt da Silva (foto) é sócio de empresas que administram, de forma terceirizada, presídios nos estados do Tocantis, Roraima e do Amazonas, onde fica localizado o Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) onde 56 foram mortos em rebelião no primeiro dia do ano. A informação foi publicada no Jornal O Globo no último domingo (8).


Luiz Gastão Bittencourt da Silva (foto) é sócio de empresas que administram, de forma terceirizada, presídios nos estados do Tocantis, Roraima e do Amazonas

Segundo levantamento feito pelo O Globo, além do presidente da Federação, a família dele também tem participações no mercado de gestão de cadeias no Amazonas. As empresas, inclusive, são alvos de investigações do Ministério Público e Polícia Federal.

Para o procurador do Ministério Público Federal (MPF-CE) Alessander Sales, a terceirização de unidades prisionais não é uma medida eficiente e só tendem a agravar problemas como o que aconteceu no Amazonas. “O preso é mais caro no sistema privado. O valor é mais do dobro que o sistema público gasta com os presos. Mesmo assim, não há nenhum ganho para o sistema. Além disso, o Estado não fiscaliza como deveria e a empresa terceirizada deixa que os presos mandem no presídio”, disse o procurador.


Atualizado por Daniel Negreiros
Reportagem de Camila Vasconcelos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Papa pede clero unido no Brasil diante de “escandalosa corrupção” “Tenho certeza de que o Brasil superará sua crise e confio que vocês a...