sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Governo reajusta piso salarial dos professores, mas aumento vai depender dos Estados e municípios


Lei não cumprida

Ministro da Educação diz que redes municipais e estaduais têm obrigação de cumprir a legislação federal.






Após o reajuste de 7,64% no piso salarial dos professores do país, anunciado nesta quinta-feira (12) pelo Ministério da Educação, começa uma nova batalha: a implantação do novo valor, que passa dos atuais R$ 2.135,64 para R$ 2.298,80, vai depender de cada Estado e de cada município.

Segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), com dados de 2016, mais da metade dos Estados brasileiros não pagam o piso. Além disso, a Confederação Nacional dos Municípios (CNM) calcula que o reajuste vai representar um gasto adicional de pelo menos R$ 5.083 bilhões aos municípios neste ano.

"As redes municipais e estaduais têm obrigação de cumprir a legislação federal. Sabemos que o contexto atual é de dificuldade financeira, mas governo federal tem empreendido esforços para passar recursos que ajudem na receita para a área da educação dos Estados e municípios", declarou o ministro da Educação, Ricardo Barros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Matos defende piso de R$ 1,6 mil para agentes de saúde

A Comissão Especial sobre Remuneração dos Agentes Comunitários de Saúde (PEC 22/11) terá reunião, hoje (16), para discutir e votar o relatór...