segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

ENTREVISTA | Os desafios e as novas metas ambientais para o Crato

FONTE

Blog do Ambrosio Santos
CARIRI SUSTENTÁVEL

por Alana Maria · em 7 de janeiro de 2017
Novas equipes tomaram posse de seus cargos administrativos nas principais cidades do Cariri e novos desafios são traçados no horizonte dessas gestões. A reportagem da Coluna Cariri Sustentável conversou com o novo secretário de Meio Ambiente, Controle Urbano e Serviços Públicos de Crato, Francisco de Brito Lima Júnior, que relevou os pontos principais de atuação para os próximos anos.
Advogado especialista em Direito Ambiental, servidor público concursado pelo município do Crato, natural de Pernambuco, mas cratense desde os primeiros anos de vida, Brito Júnior já participava da pasta em gestões passadas. Segundo ele, o município precisa se mostrar ao que veio para ontem.

METAS BÁSICAS
Para os próximos seis meses, querem agilizar a máquina pública. A SEMAC terá como prioridade o desafogamento de licenciamentos ambientais, alvarás e processos básicos como a licença “Habite-se” da construção civil. “Vamos buscar otimizar o tempo de resposta desses processos básicos porque estamos em um momento de crise econômica que demanda algumas atitudes de gestão administrativa para que se garanta trabalho, emprego e renda – claro, sem esquecer o aspecto ambiental das estruturas, proteção ao meio e fiscalização -, que vem principalmente deste setor da construção, do empresariado”, acredita o secretário.

PRAÇAS E LIMPEZA PÚBLICA
Pretende demandar mais atenção para as praças, largos e logradouros públicos. Regularizar a situação dos vendedores ambulantes e autônomos em praças e largos.
Uma proposta é o projeto de “Adoção da Praça”, onde a população circunvizinha participa como apoiador no cuidado e manutenção da praça. Em contrapartida, receberá benefícios fiscais a serem definidos. “É um grande projeto de revitalizar essas praças e trazer a população para usá-las. Com isso, que se sinta responsável pela praça, tomando-a para si”.


Lixão a céu aberto (Blog do Cariri)

LIXO E RESÍDUOS SÓLIDOS
Localizado no Sítio São Francisco, próximo a vilas habitadas e ao distrito industrial, o lixão a céu aberto do Crato recebe irregularmente toneladas de resíduos por dia. “Essa estrutura não é mais concebível e precisa ser resolvida o quanto antes”, acredita o Secretário nomeado.
Com a paralisação dos planos do Aterro Sanitário Consorciado do Cariri, Brito Júnior acredita que o Crato deverá seguir a seus próprios passos visando um aterro municipal sanitário e seguro, como determina a Política Nacional dos Resíduos Sólidos de 2010. A meta é fazer em até dois anos.
No meio tempo, a SEMAC prevê a delimitação do lixão com cercamento a fim de evitar expansão da contaminação, presença de animais e controle de entrada e saída para evitar crianças em situação de risco.
Os planos são para uma infraestrutura básica de maquinário esteja disponível para escavação de valas, revolvimento dos materiais e seu aterro.
Também deverá estreitar laços com as organizações e associações de catadores de materiais recicláveis, apoiando com estrutura e instrumentos de trabalho, capacitações e demanda de serviço. A SEMAC estima que os catadores reciclem 15 mil toneladas de lixo por mês, podendo triplicar com o apoio do município.

ÁGUA E RIOS
“Temos a visão clara de que a água será um dos recursos materiais mais caros nos próximos anos”, afirma. O secretário acredita que o reajuste na taxa da água em 52% feito no final de 2016 foi necessário para “educar” a população, que não aceitou bem a decisão. Ele fala em alto grau de desperdício e diz que a SEMAC agirá junto à SAAEC para fiscalizar e autuar casas sem hidrômetro, algo frequente no município.
Para os rios cratenses, deverá traçar um plano de limpeza e revitalização junto à Secretaria de Infraestrutura. Acredita que a canalização do rio Granjeiro foi um erro a trazer inúmeros prejuízos, tais como os alagamentos anuais das ruas próximas. “O empreendedorismo imobiliário força essas estruturas hídricas a essa situação e precisamos encontrar mecanismos viáveis de resgate a partir da revisão do Plano Diretor”.

SANEAMENTO
Com Estação de Tratamento da Água e Esgoto em desuso, o Crato tem porcentagem mínima de saneamento básico, despejando resíduos no canal rio Granjeiro e rio Saco-e-Lobo. Colocar em prática as ações do Plano Municipal de Saneamento Básico, segundo Brito Júnior, será uma das prioridades do governo municipal.
Município e Estado estiveram juntos nos últimos anos com o saneamento do bairro Seminário, um dos poucos com alguma estrutura.


Canal do rio Granjeiro após enchente (Diário do Nordeste)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Câmara de Vereadores Homenageia Radio Cidade AM de Campos Sales pelo seu aniversario

COMUNICADO CONEXÃO: estivemos na sessão desta sexta-feira feira, 18 de agosto, da Câmara de vereadores. Fomos falar sobre os 32 anos da rádi...