quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Levy:‘População vai estar preparada para pagar impostos’

FOTO: REPRODUÇÃO/ TV GLOBO
Em entrevista ao “Jornal da Globo”, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, afirmou que a população está preparada e vai entender se precisar pagar mais impostos para o país voltar a crescer e criar empregos. Na visão de Levy, está ficando cada vez mais claro para as pessoas que é preciso fazer escolhas que não são fáceis para o país chegar ao equilíbrio fiscal e crescer.

— Não adianta só você dizer que é para cortar e não dizer onde vai cortar. Não adianta querer resolver as coisas pedindo para a população assinar um cheque em branco, tem que olhar, examinar onde dá para cortar. O governo vai, deve cortar gastos, sim. Mais do que já cortou em outros casos. E também se a gente precisar pagar imposto eu tenho certeza que a população vai estar preparada para fazer isso, porque é um caminho para ter o equilíbrio, para poder crescer e a gente quer crescer para criar emprego — disse Levy. — Se pagar um pouquinho mais de impostos e a economia crescer, você tem o imposto de volta — completou em outro trecho da entrevista.

O ministro disse que assumiu o cargo com o objetivo de fazer com que Brasil readquirisse o equilíbrio fiscal, “porque é essencial para a gente poder crescer”. A nota da Standard & Poor’s (que rebaixou o Brasil), segundo Levy, “é apenas uma avaliação se a gente está olhando com seriedade para isso. Se a sociedade, o Congresso, o governo estão entendendo a seriedade de ter equilíbrio fiscal, é necessário para o Brasil ter a confiança das pessoas”.

Levy enfatizou que onde o governo poderia cortar sem autorização do Congresso já cortou e que agora é preciso fazer escolhas, pois as despesas com aposentadorias, os programas sociais são determinados por leis, aprovadas pelo Congresso.

— Essas e outras coisas tem que discutir no Congresso. É como a democracia funciona.

O Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Petrobras anuncia revisão de reajustes no preço do gás

Após a disparada nas cotações do gás de cozinha – que subiram 84% para os distribuidores só este ano, dos quais 70% desde o início de junho ...