quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Azul Linhas Aéreas deve operar entre Juazeiro do Norte e Fortaleza a partir de outubro

Mais uma boa notícia neste início de setembro para a aviação comercial em Juazeiro do Norte. A empresa Azul Linhas Aéreas Brasileiras deve operar, a partir de outubro, com um vôo entre a região do Cariri e Fortaleza. A notícia foi dada pelo Coordenador de Turismo de Juazeiro, Jose Roberto Celestino, que esteve em São Paulo. 
De acordo com o pedido, o novo vôo entre Juazeiro e Fortaleza está previsto para o período da tarde e com frequencia diária por meio de aviões Embraer a jato. Roberto Celestino diz acreditar no aval da ANAC que tem procurado estimular a aviação comercial em se tratando, principalmente, de operações regionais. Caso isso ocorra, Juazeiro passará a contar com três frequencias diárias para Fortaleza já que a Avianca opera duas e, no total, serão nove vôos diariamente.
São operações diretas para centros como São Paulo, Campinas, Brasília, Recife e Fortaleza afora um leque de opções para outros destinos como o vôo da Qatar Airwways de Juazeiro para os Emirados Arabes em codeshare com a GOL e igualmente com frequencia diária. O coordenador de turismo tem esperança que um aeroporto com tamanho movimento de aeronaves e passageiros transportados, receba investimentos da SAC (Secretaria de Aviação Civil), através da INFRAERO.
Ele cita necessidades como o reaparelhamento da pista, das taxiways e do pátio de estacionamento das aeronaves para receber aviões cargueiros de grande porte. Roberto Celestino ressalta as obras de intervenção da Prefeitura de Juazeiro no aeroporto atendendo solicitação da INFRAERO como nova avenida de acesso, ampliação do pátio de estacionamento de veículos e uma nova praça ao lado. Recentemente, a TAM Linhas Aéreas passou a operar no Aeroporto Orlando Bezerra. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Petrobras anuncia revisão de reajustes no preço do gás

Após a disparada nas cotações do gás de cozinha – que subiram 84% para os distribuidores só este ano, dos quais 70% desde o início de junho ...