sexta-feira, 19 de maio de 2017

Levantamento aponta perda de safra de grãos

Os dados consolidados serão divulgados no dia 25, mas as informações preliminares já revelam as perdas

Depois de cinco anos seguidos de frustração de safra no Ceará, esperava-se para este ano uma colheita generosa. Entretanto, a partir da segunda quinzena de abril, as chuvas ficaram mais irregulares, localizadas e escassas ( Fotos: Honório Barbosa )
00:00 · 19.05.2017 por Honório Barbosa - Colaborador
Iguatu. Agrônomos e Técnicos dos escritórios da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará (Ematerce), secretarias de Agricultura dos municípios, dos escritórios do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e dos Sindicatos dos Trabalhadores Rurais estão em campo fazendo o levantamento da safra agrícola de sequeiro (aquela que depende exclusivamente das chuvas). Os relatórios sobre a situação de produção devem ser concluídos até o próximo dia 25, mas os dados iniciais apontam para perda do plantio de grãos, milho e feijão, entre 30% e 90%.
O relatório Situação de Produção (Sitprod) é feito mensalmente por técnicos da Ematerce. O último é de 30 abril passado e apontava ainda uma expectativa de que a safra de grãos (milho, feijão, sorgo) seria superior a 332% em comparação com à colheita de 2016. O milho deveria crescer 77%, feijão 21%, os demais grãos, 2%. Para a colheita de mandioca estimava-se um aumento de 109%.
Frustração
Depois de cinco anos seguidos de frustração de safra no Ceará, esperava-se para este ano uma colheita generosa. Entretanto, a partir da segunda quinzena de abril, as chuvas ficaram mais irregulares, localizadas e escassas. Foram registrados veranicos. O resultado é a frustração de safra de grãos, cujos índices estimados variam entre 30% e 90%, dependendo do município ou mesmo do distrito.
Na região Centro-Sul, Acopiara deve registrar perda de 100% da cultura de milho e de 60% do feijão. Os dados são da Secretaria de Agricultura do Município. "Ontem choveu, mas, para o plantio, de nada adianta. Já é tarde", disse o coordenador da unidade, Wellington Oliveira. Em Solonópole, a perda varia entre 70% e 80% da safra de grãos, segundo o técnico da Ematerce Carlos Renan Almeida.
"O plantio de sequeiro estava excelente, mas, depois do dia 10 de abril, as chuvas começaram a faltar e a situação mudou completamente", explicou o gerente local do escritório da Ematerce, em Tauá, José Veríssimo de Souza Filho. "Nos municípios da região dos Inhamuns, Tauá, Parambu, Arneiroz e Quiterianópolis, estimamos uma perda de feijão e milho variando entre 60% e 75%", disse.
Na região de Lavras da Mangabeira, a frustração de safra de grãos varia entre 10% e 50%, segundo previsão do escritório local da Ematerce. "Infelizmente, do último relatório para cá, a situação só piorou com a falta de chuva", disse o gerente da unidade, Kléber Correia. "Só teremos uma definição após concluir o Sitprod, na próxima semana".
Nos municípios de Ipaumirim, Baixio e Umari haverá perda da safra de milho e feijão variando entre 35% e 45%, dependendo da localidade e do período de cultivo. Quem plantou mais tarde enfrenta um prejuízo ainda maior. "Ainda não fechamos o relatório sobre a situação de produção, mas, observando as informações de abril passado e a permanência do veranico, o quadro atual indica perda de safra", explicou Antônio Saraiva de Lima, gerente da unidade local da Ematerce.
Na região Centro-Sul, em Icó, os dados consolidados até o momento apontam que há perda de 30% para a cultura do feijão e de 50% para o milho. A informação é de Bevenides Nunes, secretário de Política Agrícola do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Icó, que integra a comissão que avalia a safra agrícola no Município.
Outro município da região dos Inhamuns, Aiuaba, deve apresentar perda de safra de milho em média de 60% e de feijão, 50%, segundo Heldo Batista. O escritório local da Ematerce de Iguatu somente na próxima semana conclui o relatório sobre a situação de produção de grãos, mas a estimativa inicial é de perda elevada, de pelo menos 80% para a cultura do milho.
Sem perda
No município de Itapipoca, por outro lado, as chuvas foram mais intensas, constantes e não há registro de perda da safra de grãos, segundo Narcélio Gomes, do escritório da Ematerce. Neste ano, a faixa litorânea foi beneficiada com boas precipitações favorecendo o desenvolvimento das culturas agrícolas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Câmara Municipal do Crato vai homenagear radialistas em sessão solene

Nesta quinta-feira, dia 23, a Câmara Municipal vai homenagear radialistas da região em sessão solene a ser realizada no Crato Tênis Clube, ...