terça-feira, 3 de julho de 2018

Eleições 2018: calendário começa a andar mais rápido em julho







A tradição mostra que, ao longo dos anos, os eleitores ficam mais envolvidos com a campanha nos últimos 30 dias que antecedem ao dia da votação. O envolvimento chega mais cedo nas eleições municipais quando as paixões – preferência por nomes que concorrem ao cargo de prefeito e ao mandato de vereador, afloram com o calor das emoções.

A proximidade entre eleitores e pré-candidatos ou candidatos dá o tom de maior participação popular no pleito municipal. O mesmo não acontece com eleições estaduais ou presidenciais. Em 2018, quando serão eleitos governadores, senadores, presidente da República, deputados estaduais e deputados federais, o distanciamento dos eleitores tem um fosso ainda maior diante do desencanto do cidadão com os rumos políticos do País.

O ápice do divórcio circunstancial da maioria dos brasileiros com o sonho de transformação pela política foi a Operação Lava Jato que levou gente graúda para a cadeia. A onda de corrupção que varreu o País nos últimos 10 anos provocou decepção e desesperança para quem imaginava encontrar na política o caminho para solução dos graves problemas enfrentados no dia a dia da população.

Se muita gente se desencantou com a política, é preciso ter uma certeza: sem política, não dá. Quer queira ou não o cidadão, a política está presente na vida de todos os moradores de uma cidade, de um estado, de uma Nação. Mais valioso, para o cidadão, para a cidadã, é descobrir, com convicção, que está nas mãos de cada um o poder da transformação.

O voto consciente é o caminho para mudar. Em 2018, a oportunidade de possíveis transformações é no dia 7 de outubro, com o primeiro turno da eleição. Nessa data, os eleitores cearenses irão escolher o Governador do Estado, dois senadores, 22 deputados federais, 46 deputados estaduais e eleger um novo presidente da República. A chegada até 7 de outubro é antecedida por uma longa agenda, presente mais na vida dos partidos e pré-candidatos, mas com movimentos que se refletem na vida do cidadão. Então, a partir deste mês, prepare-se: o calendário eleitoral, como mostra o Jornal Grande Porto, anda mais rápido.

Calendário das Eleições 2018 no mês de julho

5 de julho

Os políticos, com vistas à indicação de seu nome pelo partido, poderão fazer propaganda intrapartidária a partir do dia 5 de julho. A lei proíbe, porém, o uso de rádio, televisão ou outdoor para essa finalidade.

7 de julho

Três meses antes das eleições, a partir de 7 de julho, os agentes públicos ficam proibidos de praticar várias condutas, entre as quais: nomear, contratar ou de qualquer forma admitir, demitir sem justa causa.

7 de julho

Fica proibida a transferência voluntária de recursos da União aos estados e municípios e dos estados aos municípios, ressalvados os recursos destinados a cumprir obrigação formal preexistente para execução de obra ou de serviço em andamento e com cronograma prefixado e os destinados a atender situações de emergência e de calamidade pública.

17 de julho

Uma vez divulgados os locais de votação dos municípios com mais de cem mil eleitores que terão seções disponíveis para o voto em trânsito, o eleitor poderá habilitar-se a partir do dia 17 de julho para votar por meio dessa modalidade.

20 de julho

As convenções para a escolha dos candidatos a presidente e vice-presidente da República, governador e vice-governador, senador e respectivos suplentes, deputado federal, deputado estadual ou distrital deverão ocorrer entre os dias 20 de julho e 5 de agosto.

20 de julho

A partir de 20 de julho, não será permitida a realização de enquetes relacionadas ao processo eleitoral. Vale lembrar que enquete é a simples coleta de opiniões de eleitores sem nenhum controle de amostra e sem a utilização de método científico para sua realização. Esse tipo de consulta informal depende apenas da participação espontânea do interessado.

25 de julho

Após a obtenção do número de registro de CNPJ do candidato e a abertura de conta bancária específica para movimentação financeira de campanha e emissão de recibos eleitorais, os partidos e candidatos deverão enviar à Justiça Eleitoral, a partir de 25 de julho, os dados sobre recursos financeiros recebidos para financiamento de campanha até 72 horas após o recebimento desses recursos, para fins de divulgação na Internet.

Com informações do Jornal Grande Porto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Manchetes das principais revistas

VEJA A Justiça Brasileira Porque chegamos a esse ponto. A quem interessa a desmoralização do Judiciário? Numa das mãos, a estátua da Just...