terça-feira, 3 de julho de 2018

Banco do Nordeste ultrapassa R$ 12 bilhões em contratações com recursos do FNE em 2018






O Banco do Nordeste aplicou R$ 12,3 bilhões na economia da Região no primeiro semestre desse ano com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), que completa 30 anos de criação em 2018. O valor é o dobro do registrado no mesmo período do ano anterior, quando a instituição contratou R$ 6,1 bilhões do FNE com empreendedores dos nove Estados nordestinos e norte de Minas Gerais e do Espírito Santo.

Somadas outras fontes, especialmente destinadas aos programas de microfinanças, o BNB aplicou, no total, mais de R$ 16,6 bilhões nos seis primeiros meses de 2018, distribuídos em mais de 2,2 milhões de operações para investimento e capital de giro, além de microcrédito e pessoa física, este último especialmente por meio do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies)

O presidente do Banco do Nordeste, Romildo Rolim, destaca que o volume de negócios com o FNE tende a crescer no segundo semestre. “Para o ano de 2018, temos o desafio da aplicação de R$ 30 bilhões, que vão impulsionar o desempenho da economia nordestina”, prevê.

A expectativa da instituição é financiar R$ 14,5 bilhões do Fundo Constitucional em grandes projetos de infraestrutura até dezembro. Quase R$ 6 bilhões já foram contratados com o setor, o que mais recebeu recursos no ano. Em seguida aparecem comércio/serviços (R$ 2,4 bilhões) e rural (R$ 1,9 bilhão).

Microcrédito

Até 29 de junho, o Banco do Nordeste contratou mais de R$ 5,5 bilhões com microempreendedores urbanos e rurais, por meio dos programas Crediamigo e Agroamigo, respectivamente. O Crediamigo registra aproximadamente R$ 4,3 bilhões aplicados e o Agroamigo financiou mais de R$ 1,2 bilhão. O microcrédito urbano cresceu 12,8% em relação ao mesmo período do ano anterior e o rural 21,8%.

Pronaf

Além do Agroamigo, o Banco do Nordeste aplicou R$ 268,5 milhões com recursos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) na Região. O resultado também registra crescimento, de 1,8%, impulsionados, diretamente, pela retomada do período chuvoso na Região e início do novo Plano Safra.

Recuperação de crédito

O BNB regularizou cerca de R$ 2,1 bilhões em dívidas rurais nos seis primeiros meses de 2018. Esse resultado foi motivado pelos benefícios das Leis 13.340/16 e 13.606/18, que permitem descontos de até 95% em operações de crédito rural em atraso contratadas até 2011. Os instrumentos estão vigentes para adesão até dezembro/18. Os interessados devem procurar a Rede de Agências do BNB para obter mais informações sobre os benefícios.



Com informações Assessoria de Comunicação BNB

Nenhum comentário:

Postar um comentário

FPM: Segundo decêndio apresenta queda no repasse

As prefeituras recebem na quinta-feira, 20 de setembro, o 2º decêndio do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) que apresenta queda no r...