quinta-feira, 22 de junho de 2017

Falta de delegados na Polícia Civil do Ceará deixa crimes sem investigação




A falta de apuração criminal através de inquéritos provoca a impunidade dos homicidas e gera aumento das taxas de assassinatos por conta da reincidência criminal






A metade das vagas existentes para delegados na Polícia Civil do Ceará não foi preenchida

Fernando Ribeiro21/06/2017 query_builder 12:10




Aapreensão de 1,2 tonelada de maconha paraguaia em Fortaleza, na última segunda-feira (19), durante operação da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas, foi comemorada pelo secretário da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará, delegado federal André Costa. Ao elogiar o trabalho dos policiais civis, sem querer ele acabou por mandar um recado ao governador Camilo Santana da necessidade de reestruturação da Polícia Civil e, principalmente, de contratação de novos profissionais.

“Foi mais um grande exemplo de que, com qualidade na investigação criminal e na Inteligência Policial, é possível fazer grandes ações que geram consideráveis prejuízos ao crime organizado”, disparou o secretário. E ele está mais do que correto. Para desarticular grandes grupos criminosos e restabelecer a paz social com o combate efetivo à violência e à criminalidade é preciso de boa investigação, e isto só é possível com delegados, escrivães, peritos. Pessoas treinadas, especializadas. Profissionais de gabarito.

A Polícia Judiciária cearense tem um déficit de pessoal gritante. Faltam profissionais. Cerca de 80 delegacias do Interior estão fechadas por falta de delegados. E por que não convocar aqueles que foram aprovados e aguardam o chamamento do estado, isto é, estão no Cadastro de Reserva? Enquanto isso não acontece, os crimes ficam sem investigação. E a conseqüência? Impunidade e reincidência criminal.

GOVERNADOR RECLAMA…

E Camilo Santana voltou a reclamar do que ele chama de falta de uma política nacional de Segurança Pública. Alega que os estados assumiram uma responsabilidade que não é deles e sim do Governo Federal: o combate às drogas. E bradou: “Cadê a Justiça? Hoje as pessoas matam e sabem que não vão responder por isso, não vão ser julgadas nem condenadas”. Ele esqueceu de que, para que haja um processo e uma condenação, antes tem o inquérito policial, que é de competência exclusiva de delegado de Polícia. A preocupação do governador tem sentido. Mas, aqui no Ceará se mata e não se vai para a cadeia, pois não tem processo nem investigação. E não tem inquérito pela falta de delegado.

EMPREGO PARA PRESOS

Camilo colocou outra ideia na cabeça para tentar reduzir a criminalidade no Ceará. Quer a parceria da iniciativa privada para a instalação de indústrias no Município de Itaitinga, onde possam ser ofertadas vagas de emprego para presidiários do Complexo Penitenciário de Itaitinga. A proposta seria ótima, não fosse a conjuntura do País, com cerca de 14 milhões de pessoas de bem desempregadas. Se não há emprego para os cidadãos comuns, pais de famílias, pagadores de seus impostos e de bem com a lei, imaginem para quem tem nas costas um histórico criminal. Qual empresário se arriscaria???

PARCERIA PERIGOSA

Governo do Estado, através da Secretaria da Segurança Pública, assinou convênio com a Prefeitura Municipal de Sobral. O objetivo da parceria é o Município pagar extra aos policiais militares que trabalhem em seus dias de folga, à exemplo do que o estado já faz na Capital. Ora, se recentemente os servidores daquele Município reclamaram dos cortes em seus vencimentos, do cancelamento de horas extras e gratificações, como o Município vai honrar esse compromisso com os militares??? E a Polícia Militar ficará à reboque das ordens do senhor prefeito Ivo Gomes? Muito risco nisso tudo.

POPULAÇÃO PAGA A CONTA

A onda de ataques a bancos no Ceará, com a explosão de agências e postos, teve um capítulo devastador nesta semana. O anúncio feito pela direção do Banco do Brasil, em Brasília, de que irá fechar cinco agências no estado, por absoluta falta de segurança. As cidades prejudicadas são: Madalena, Pedra Branca, Jaguaribara, Pindoretama e Itapiúna. O impacto será enorme para a população e para a economia destes Municípios. Até maio, conforme a estatística do Sindicato dos Bancários, ocorreram no Ceará 16 explosões em agências, 20 arrombamentos e três ataques a carros-fortes, com um vigilante morto. Como sempre, pela falta de segurança, quem paga a conta é a população.

MICO NACIONAL

Pela segunda vez, no intervalo de apenas uma semana, o Ceará vira motivo de reportagem negativa em nível nacional, através da Rede Globo. Há uma semana, o “Bom-Dia Brasil” mostrou a alta da criminalidade na Grande Fortaleza, com chacinas praticadas por ordem do crime organizado. Nesta quarta-feira (21), o mesmo telejornal transmitiu para todo o País uma matéria sobre as fugas de presos através de túneis no Complexo Penitenciário de Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). A reportagem expôs a fragilidade da segurança nas CPPLs (Casas de Privação Provisória da Liberdade) e a superlotação dos presídios. O Ceará possui hoje 26 mil detentos (dos quais 22 estão atrás das grades) e a capacidade do sistema é para abrigar até 16 mil. Portanto, o excedente é de 10 mil.

E TEM MAIS!!!

* A CPPL 2, ou Casa de Privação Provisória da Liberdade Professor Clodoaldo Pinto, conta hoje com cerca de 1.800 detentos, o dobro de sua real capacidade (950). Ali estão abrigados detentos da facção Guardiões do Estado (GDE) e presos da “Massa”, isto é, aqueles não pertencem a nenhuma facção. As ameaças entre os dois grupos são constantes e se agravaram após a chacina em que cinco pessoas foram assassinadas em Horizonte. Familiares de presos da “Massa” foram mortos na chacina praticada pela GDE. Imaginem o clima nessa cadeia!!!

* Das quase duas mil toneladas de drogas apreendidas no Brasil em 2015, a metade foi confiscada nas estradas, em operações especiais ou de rotina realizadas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). No entanto, o órgão, que deveria ser valorizado por conta de sua eficiência no combate ao crime, se ressente de efetivo. São apenas 10 mil homens para manter a fiscalização de trânsito e combate ao crime em 70 mil quilômetros de estradas federais, além das fronteiras com países como Paraguai, Uruguai, Argentina e Bolívia.

*Os Crimes Violentos, Letais e Intencionais (CVLIs) não param de crescer no Ceará e junho será mais um mês negativo para as estatísticas do programa “Ceará Pacífico”, pois os números do mês em curso já deixaram para trás os índices de junho de 2015. No ano passado, foram 248 crimes. Neste junho de 2017, até o dia 18, a SSPDS já havia contabilizado 283 casos. E esse número já aumentou nas últimas 48 horas.

* O Centro de Equoterapia da Polícia Militar do Ceará comemorou 22 anos de atividades. A unidade é referência nacional, auxiliando no tratamento de crianças com necessidades especiais. A equoterapia é um método terapêutico que usa o cavalo como agente promotor, no campo biopsicossocial e uma abordagem multidisciplinar nas áreas da educação, saúde e equitação. Crianças com lesões neuromotoras e deficiências motoras, sensoriais, ortopédicas e cognitivas são recebidas ali. Mais de 200 já passaram por lá. Parabéns.

* Governo do Estado de São Paulo move ação judicial contra a indústria de armas Forjas Taurus e quer a devolução de R$ 30 milhões. Isso porque há três anos o governo comprou um lote de submetralhadoras para equipar a Polícia Militar e dezenas delas apresentaram defeito de fabricação e montagem. Muitas tinham até fissuras nos canos. Para evitar acidentes graves com a tropa, o Comando da corporação recolheu todas as armas do lote, que até hoje estão empilhadas, sem nenhuma serventia.

* Perguntar não ofende: cadê as novas viaturas da PM, da Polícia Civil e da Pefoce???

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Juiz cassa diplomas de prefeita e vice-prefeito de Santana do Cariri mais uma vez

0 16:04 · 19.07.2017 / atualizado às 16:04 · 19.07.2017 por André Costa Santana do Cariri. A prefeita deste Município, Danieli de Abreu...