sexta-feira, 6 de julho de 2018

Mergulhador morre sem oxigênio ao voltar da caverna na Tailândia


Ex-marinheiro acabara de dexar provisões para crianças e adolescentes isolados

POR O GLOBO / AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Especialistas em mergulho trabalham para o resgate - ATHIT PERAWONGMETHA / REUTERS


BANGCOC - Um ex-mergulhador da Marinha da Tailândia, que se juntou voluntariamente à operação de resgate das 12 crianças e adolescentes e de seu treinador de futebol presos há 13 dias em uma caverna inundada, morreu por falta de oxigênio enquanto voltava, por mergulho, para o centro de comando, após levar provisões ao grupo, anunciou o comandante da força SEAL da Marinha, Arpakorn Yookongkaew. Ele foi identificado como Saman Gunan, de 38 anos. O acidente aconteceu por volta às 2h da manhã desta sexta-feira (horário local).

— Ele perdeu a consciência no caminho de volta. Seu companheiro de mergulho tentou ajudá-lo — disse Yookongkaew.


Diante da perspectiva de fortes chuvas no fim de semana, falta de experiência em mergulho e ainda a desnutrição de alguns dos 12 meninos e de seu treinador de futebol, a Tailândia mobilizou um verdadeiro exército de militares e especialistas de vários países que avaliam duas principais estratégias de resgate. Na quinta-feira, mais 30 mergulhadores de elite se juntaram aos 80 já no local, enquanto as autoridades enviavam entre 20 e 30 equipes para rastrear a área sobre a caverna para tentar encontrar uma fenda ou chaminé que a ligue a superfície e evite o resgate subaquático.


O primeiro cenário é retirar, com a necessidade de mergulho, somente aqueles que estiverem prontos e saudáveis. O plano é aproveitar ao máximo a drenagem já feita em zonas alagadas e minimizar a necessidade de fazer arriscadas travessias submersas. A segunda opções, ainda hipotética, equipes mobilizadas tentariam cavar um túnel para extrair o grupo a partir da superfície acima da caverna. Para isso, no entanto, buscam alguma abertura que facilite a tarefa, uma vez que a caverna está a entre 800 metros e um quilômetro da superfície.

— Estamos numa corrida contra a água, que continua fluindo, apesar da drenagem — disse o governador da província de Chiang Rai e chefe da célula de crise, Narongsak Osatthanakorn.

Resgate complicado
Caverna deTham Luang
Caminho para retirar 12 jovense treinador é dificultado porzonas onde é necessário mergulhar
CHIANGRAI
LAOS
BANGCOC
A caverna
CAMBOJA
MIANMAR
Golfo daTailândia
200km
N
800m a 1km
Pelo menos quatroáreas inundadas
30m demergulho
Entrada
Algumas partes são estreitas demaispara usar tanques de mergulho
Equipamento deescalada completonecessário
Grupoencontrado
Fonte: BBC

A melhora da previsão climática para hoje deu mais tempo às equipes de socorro para preparar a logística da retirada. Espera-se chuva para esta sexta-feira. Novas previsões indicaram que a precipitação mais forte, que potencialmente alagará todo o complexo, será só no domingo.




— Se a condição estiver adequada e a pessoa estiver 100% pronta, poderá sair — garantiu Osatthanakorn.

TRAJETO DE 11 HORAS

A célula de crise precisa garantir ação rápida. Segundo o governo, os mergulhadores podem levar até 11 horas para resgatar cada adolescente: seis horas para chegar até eles, e mais cinco para voltar — o trajeto de saída tem a corrente a favor.

De acordo com Poonsak Woongsatngiem, funcionário sênior de resgate do Ministério do Interior, o volume de água na caverna já foi reduzido em 40% — numa média de 1,5 centímetros por hora. A intenção é bombear e drenar o suficiente para que as crianças não precisem mergulhar — ou que mergulhem por pouco tempo e com menos risco. No atual estágio, 1,5km do trajeto seria a pé, em terrno seco, e os 2,5km restantes seriam feitos a nado ou em mergulhos mais rasos.

Mas um boletim médico dos adolescentes, obtido pela CNN, mostrou que dois dos garotos e o treinador, de 25 anos, sofrem de exaustão e desnutrição, por causa dos nove dias isolados antes de serem encontrados. E três deles têm problemas intestinais, segundo um mergulhador.

— Se você pede a um garoto de 11 anos que faça um mergulho em que um ex-mergulhador da Marinha especializado teria dificuldades, algumas crianças vão morrer — advertiu, à CNN, o ex-membro de elite da Marinha americana Cade Courtley.

Os receios sobre o resgate fazem a força-tarefa ampliar a busca por chaminés que sirvam de atalho para tirar o time sem mergulhar. Como os meninos respiram normalmente após duas semanas no ambiente, onde o ar é rarefeito, autoridades acreditam ser “muito provável” que haja chaminés ligando a caverna ao exterior.



Enquanto isso, o clima é de otimismo entre os garotos, todos fãs de futebol.

— Sempre perguntam sobre a Copa do Mundo. Disse a eles que as grandes seleções tinham ido para casa — disse um socorrista ao jornal britânico “Guardian”.

O resgate dos jovens na caverna da Tailândia
Laos
Cavernade ThamLuang
Complexo visto de cima
Vista transversal
BANGCOC
5m
200m
Golfo daTailândia
Câmara de entrada
200 km
Escala humana
Área majoritariamente seca com seções de águas rasas
A caverna se estreita a uma passagem
Base operacional dos mergulhadores
Altura menor que 1m
A caverna alarga
Menor parte do túnel
Praia Pattaya
Área majoritariamente alagada, passagem somente por mergulho
Mais de 10m de altura
Grupo encontrado em uma elevação cercada de água


Fontes: Federação francesa de espeleologia, Universidade Rakabhat Mahasarakham, Digitalay, e BBC



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Doutores do ABC 2018, do MDA de Campos Sales

Neste sabado, 8 de dezembro aconteceu na quadra da escola profisionalizante, Presidente Médici, a 37ª formatura da turma de Doutores do ABC,...