terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Cariri tem 21 cidades entre os piores PIBs do Brasil

Crescimento econômico
Cariri tem 21 cidades entre os piores PIBs do Brasil

No Cariri, das 31 cidades que compõem a região, apenas 10 (32,2%) apresentam um resultado satisfatório sobre o valor referido (Foto: Reprodução/Jornal do Cariri)
Conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 44% dos municípios cearenses têm Produto Interno Bruto (PIB) per capita inferior a R$ 4.639,63. No Cariri, das 31 cidades que compõem a região, apenas 10 (32,2%) apresentam um resultado satisfatório sobre o valor referido, sendo que 21 municípios figuram na lista das 556 cidades brasileiras com a menor renda per capita.
O município de Juazeiro do Norte encabeça a lista das 10 cidades com melhor renda per capita no Cariri. Com uma produção interna acima de R$ 2 bilhões, sua renda, por cada indivíduo, atinge o valor de R$ 9.210,68. De acordo com o chefe do IBGE na cidade, Cícero Oliveira, a instalação de indústria contribui para o resultado. Existem 400 indústrias no município, sendo 250 do pólo calçadista e demais de alumínio e confecções.
Barbalha segue na lista, em segundo lugar, com uma renda per capita de R$ 8.919,52. Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico, Álisson Uchoa, o setores industrial (25%), serviços (70%) e de agronegócios (5%) representam o PIB local. Na sequência, o Crato aparece com R$ 8.082,34, sendo 19,77% referentes às 384 indústrias, 77,44% do setor de serviços e 2,79% de agronegócios, segundo informa o técnico da Secretaria de Desenvolvimento Municipal, Lamar Oliveira.
Penaforte ocupa a quinta maior colocação per capita, com R$ 5.898,09. Já os municípios Abaiara (3.635,15), Tarrafas (3.974,04) e Caririaçu (4.003,38) registram os piores PIBs entre as cidades do Cariri. Ao todo, 67,7% dos municípios caririenses não apresentam resultados satisfatórios.
O economista Roberto Lima lembra que o PIB serve para medir a atividade econômica e o nível de riqueza de uma região. “Quanto mais se produz, mais se está consumindo, investindo e vendendo. O Produto Interno Bruto per capita (ou por pessoa) mede quanto, do total produzido, ‘cabe’ a cada indivíduo se todos tivessem partes iguais”, comenta.
Fonte: Jornal do Cariri
Fonte: Site Miséria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Matos defende piso de R$ 1,6 mil para agentes de saúde

A Comissão Especial sobre Remuneração dos Agentes Comunitários de Saúde (PEC 22/11) terá reunião, hoje (16), para discutir e votar o relatór...